Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




À BRÁS OU À GOMES DE SÁ

Em Lisboa, há um novo Centro Interpretativo que conta a história do bacalhau

Não deixa de ser curioso que num País à beira-mar plantado, um dos peixes que se tornou símbolo nacional fosse pescado a milhares de quilómetros de distância. No novo Centro Interpretativo da História do Bacalhau, no Torreão Nascente do Terreiro do Paço, recua-se até ao século XVI para contar, de forma interativa, uma história que começa nos mares gelados da Terra Nova.

Defronte para a maior praça de Lisboa, e inserido no Novo Cais de Lisboa, que vai requalificar a zona ribeirinha entre o Terreiro do Paço e a Doca da Marinha, o centro divide-se por dois pisos temáticos: O Mar, no piso 0; e À Mesa, no piso 1.

Mais de um século depois, físicos desvendam o mistério dos barcos encalhados em «água morta»

Pela primeira vez, uma equipa interdisciplinar de cientistas franceses explicou o misterioso fenómeno da “água morta”, capaz de travar e encalhar navios em movimento, mesmo que os seus motores funcionem corretamente. Tal como frisa o portal IFL Science, foi resolvido um mistério com mais de 100 anos.

O fenómeno foi sentido pela primeira vez em 1893 pelo explorador norueguês Fridtjof Nansen, enquanto navegava pelas águas do Ártico no norte da Sibéria. Sentiu o seu navio desacelerar por uma força estranha, cuja natureza era desconhecida, e mal conseguia manobrar a embarcação e não era capaz de atingir a sua velocidade normal.

A Marinha do Tejo durante a pandemia - Uma dinâmica digna de realce

Não sendo possível organizar eventos presenciais, a Associação Âncoras – Associação Náutica de Clássicos de Oeiras organizou a apresentação do projecto de construção do ÁLA-ARRIBA, via plataforma digital Zoom.

APROFUNDAMENTO E ALARGAMENTO DO CANAL DE NAVEGAÇÃO DO PORTO DE PORTIMÃO

Visita da Comissão de Avaliação do Estudo de Impacte Ambiental

No âmbito da visita da Comissão de Avaliação do Estudo de Impacte Ambiental do Aprofundamento e Alargamento do Canal de Navegação do Porto de Portimão, o CNANS realizou uma visita aos sítios arqueológicos (naufrágios, âncoras, achados isolados, entre outros) que foram relocalizados e identificados no âmbito dos trabalhos arqueológicos deste projecto.

Os mergulhos contaram com a colaboração da APS - Administração dos Portos de Sines e do Algarve, da OpenWaters e da APA - Agência Portuguesa do Ambiente.

CENTRO DE DESPACHO RÁPIDO DE NAVIOS

25 Anos - CDRN do Porto de Setúbal - 25 Anos

A história do CDRN (Centro de Despacho Rápido de Navios), que cumpre 25 anos esta segunda-feira, 20 julho de 2020, teve a sua génese no âmbito da implementação da estratégia definida pelo CA da APSS (Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra) presidido pelo Engº Coelho da Mota, enquadrado num dos objetivos globais para o Porto de Setúbal, a Modernização: “Criar um ambiente psicológico novo, marcado por uma atitude positiva, em que se privilegie a qualidade…”, considerando-se que, com a entrada em funcionamento do CDRN, em 20 de julho de 1995, “deu-se início a uma nova etapa de modernidade e operacionalidade do sistema de gestão portuária”.

Divulgamos vídeo evocativo da efeméride.

CAMINHO MARÍTIMO PARA A ÍNDIA - FEITO COMEÇOU A 8 DE JULHO DE 1497

Vasco da Gama partiu do Restelo há 523 anos

Vasco da Gama foi o capitão escolhido por D. Manuel I para comandar a expedição que tinha como missão encontrar o caminho marítimo para a Índia. A armada de Vasco da Gama partiu do Restelo no dia 8 de Julho de 1497 e chegou a Calecute, na Índia, no dia 20 de Maio de 1498.
A frota era constituída por um navio de transporte de mantimentos, a caravela Bérrio, a nau S. Gabriel – capitaneada por Vasco da Gama – e a nau S. Rafael. A viagem inaugural da que viria a ser conhecida como a «Carreira da Índia», abriu uma rota directa entre a Europa e o Oriente.

COM VÍDEO

Caminho marítimo para a Índia: Porquê Vasco da Gama?

Não é clara a razão da escolha de Vasco da Gama para comandar a esquadra que tinha como missão descobrir o caminho marítimo para a India. As suas ligações à Ordem de Santiago podem ser uma explicação.

A ligação familiar à Ordem Militar de Santiago será, segundo os especialistas, uma das razões que levaram à nomeação de Vasco da Gama para almirante dos navios que partiram de Lisboa com o objetivo de descobrir o caminho marítimo para a Índia.

VASCO, da Gama e de Sines

O navegador Vasco da Gama (ca. 1469-1524), descobridor do Caminho Marítimo para a Índia, é uma das figuras maiores da história portuguesa e mundial. Foi em Sines que nasceu e foi o condado de Sines que, até ao fim da vida, quis como galardão pela proeza da Índia.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA EM VÍDEOS | 1996

Ílhavo: Um Porto de Passagem

Programa dedicado a Ilhavo nas vertentes natural, cultural e económica. Documentário com a duração de 27' 49'', exibido pela RTP a 10 de Março de 1996.
O vídeo integra o espólio do Arquivo RTP.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA EM VÍDEOS | 1989

Pescadores de Ílhavo

Programa dedicado aos pescadores de Ílhavo, à pesca e à navegação mercante. Reportagem emitida a 17 de Abril de 1989. O vídeo integra o espólio do Arquivo RTP.

Um século depois, o apito do «herói do Titanic» é exibido pela primeira vez

Em abril de 1912, o RMS Titanic afundou no Oceano Atlântico com mais de 1.500 passageiros a bordo. Uma coleção inestimável de objetos pertencentes a um oficial heróico que sobreviveu ao naufrágio vai agora a leilão.

De acordo com a Fox News, os objetos pertenciam a Harold Lowe. Conhecido como um dos heróis do trágico incidente, Lowe não só serviu como o denunciante do desastre marítimo, como também comandou o 14.º barco salva-vidas e resgatou sobreviventes das águas geladas.

Depois de levar os passageiros no seu barco salva-vidas e deixá-los em segurança, Lowe foi o único oficial a voltar aos destroços para tirar mais sobreviventes da água.

COM VÍDEO

Uma viagem no varino «Amoroso», a maior embarcação tradicional que ainda navega no Tejo

O varino Amoroso, à semelhança de outras embarcações tradicionais do Tejo, desempenhou um papel de extrema importância para a vida socioeconómica do estuário do maior rio português. Antes da construção das pontes sobre o Tejo, do desenvolvimento de outras vias de comunicação e dos transportes rodoviários, esta embarcação construída na segunda década do século XX, assegurou localmente o transporte de bens e mercadorias.
 

A HISTÓRIA EM VÍDEOS | 1996

Exposição sobre a pesca do bacalhau em Ílhavo

Ílhavo, Museu Marítimo, exposição sobre o tema do livro "Faina Maior - A Pesca do Bacalhau nos Mares da Terra Nova", Ana Maria Lopes, escritora. Reportagem no programa "Acontece", da RTP, 8 de Julho de 1996.

COM VÍDEO

José de Almada Negreiros: artista multimédia morreu há 50 anos

José de Almada Negreiros nasceu em São Tomé e Príncipe em 1893, morrendo em Lisboa em 1970. Dele saíram quase todas as formas por que se pode expressar a arte, ou terá sido, como já lhe chamaram, artista multimédia antes do seu tempo.

Ao lado de nomes como o de Mário de Sá-Carneiro e de Fernando Pessoa, Almada marca indelevelmente a evolução da cultura contemporânea portuguesa ao nível plástico e literário. Centremo-nos apenas na produção literária, assumindo que para Almada tudo o que redunde em espectáculo, interessa.

RTP, 2003

Última Viagem | Afundamento propositado do navio «Madeirense»

Programa apresentado pela jornalista Sílvia Alves sobre o afundamento propositado do navio "Madeirense" ao largo da Ilha de Porto Santo, na Madeira, com o objetivo de o transformar num recife artificial e assim fomentar a prática de mergulho, uma reportagem do jornalista José Manuel Levy.

BANDEIRAS AZUIS EM 1996 | TELEJORNAL, RTP

Qualidade das praias portuguesas

Atribuição record de bandeiras azuis atribuídas às praias portuguesas, em 1996. Telejornal, RTP, 4 de Junho de 1996.

O Dia da Marinha desembarca este ano na casa dos portugueses

O Dia da Marinha celebra-se a 20 de maio, assinalando a data em que Vasco da Gama chegou a Calecute, na Índia, em 1498. Este ano, devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, as comemorações planeadas para a cidade de Faro foram canceladas e adiadas para 2021. ​​​​​​​​​​​​ Contudo, o dia será assinalado através de algumas iniciativas, nomeada​mente a abertura gratuita ao público dos órgãos de natureza cultural como são o Aquário Vasco da Gama, o Museu de Marinha e a fragata D. Fernando II e Glória.

Morreu Manuel Luís dos Santos, o comandante do Lusitânia Expresso

Morreu Manuel Luís dos Santos, o comandante do navio Lusitânia Expresso, que, em 1992, ajudou a colocar a causa de Timor-Leste no mapa das noticias globais. O comandante tinha 75 anos.

Em março de 1992, depois de atravessar o mundo com o pequeno ferry boat Lusitânia Expresso, partiu de Darwin, rumo às aguas territoriais de Timor, território ocupado pela Indonésia. A bordo, levava timorenses, jornalistas, ativistas da causa de Timor - como à época diretor da revista Fórum Estudante, Rui Marques - e o antigo Presidente da República Ramalho Eanes.

TRAGÉDIA HISTÓRICA

Como foram recuperados os corpos do naufrágio do Titanic?

Mackay-Bennett, o navio mortuário do Titanic, foi responsável pela sombria operação. Rapidamente, marinheiros do porto de Halifax, capital da Nova Escócia, equiparam o navio para cumprir o papel de “necrotério” dos cadáveres.

Cerca de 100 caixões de madeira, 100 toneladasde gelo e 12 toneladas de barras de ferro para pesar os corpos foram carregados pelo Mackay-Bennett. Eles chegaram ao local da tragédia na noite do dia 19 de abril, mas foram surpreendidos com o número de pessoas flutuando, mortas, na água.

Para além de notícias recentes, recuperamos, nesta newsletter temática, alguns dos artigos publicados no portal da APP aquando do centenário do terrível naufrágio

Estas fotos mostram o que aconteceu logo após o naufrágio do Titanic

Mais de 2200 pessoas estavam a bordo, mas apenas cerca de 700 sobreviveram. Conseguiram escapar do navio em botes salva-vidas, e horas depois foram resgatadas por outra embarcação, a Carpathia, que tinha recebido o pedido de socorro do capitão do Titanic.

Veja algumas fotografias que mostram personagens e acontecimentos que se sucederam ao desastre marítimo.

Total: 852