Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




Navio-Museu Santo André reabriu com novidades

A 20 de Maio, a Câmara Municipal de Ílhavo assinalou o Dia Europeu do Mar com a reabertura do Navio-Museu Santo André, ancorado no Jardim Oudinot, Gafanha da Nazaré, com a presença do Secretário de Estado do Mar, José Maria Costa.

O Presidente da Câmara, João Campolargo, salientou que se trata de “um dia particularmente feliz para o Município de Ílhavo, mas também para a região de Aveiro e para o país, na medida em que a requalificação do Navio-Museu Santo André representa a preservação da memória e a valorização da história de um território, de uma região e de um país”.

CANIÇAL, MADEIRA | ATÉ 31 DE JULHO

Exposição «Gritos do Azul» patente no Museu da Baleia

O Museu da Baleia da Madeira, no Caniçal, acolhe a exposição temporária 'Gritos do Azul', de Cristina Camacho. A autora - fotógrafa subaquática e profissional de mergulho livre – pretende mostrar através da sua arte, a dura realidade que o oceano atravessa.

A colecção reúne um conjunto de fotografias cujo objectivo é “ empatizar com o sofrimento da vida marinha, que por vezes tende a ser visto como algo estranho e distante da nossa própria vida”. Estará patente ao público, na sala de exposições temporárias do museu, até 31 de julho de 2022, com acesso gratuito.
 

Aquário Vasco da Gama lança Plataforma Digital Interactiva dedicada ao Rei D. Carlos I

A Marinha, através do Aquário Vasco da Gama, inaugurou na terça-feira, dia 3 de maio, uma nova plataforma digital denominada “Tesouros do Rei”.

​​​​​​Dedicado ao Rei D. Carlos, pai da oceanografia em Portugal, este novo espaço museológico resulta de uma parceria com a BP Portugal e tem como objetivo incentivar o conhecimento do mar e promover o acesso (digital) a registos de elevado valor histórico e científico.

A plataforma disponibilizará a visualização de mais de uma centena de exemplares animais, recolhidos nas 12 expedições oceanográficas que o Rei D. Carlos realizou entre 1896 e 1907, bem como o acesso a dezenas de livros, manuscritos e outros documentos daquele período.

AÇORES | ATÉ 17 DE ABRIL

Museu da Graciosa expõe património subaquático açoriano

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, por via da Direcção Regional da Cultura, através do Museu da Graciosa promove a exposição temporária “Cápsulas do Tempo, o Património Cultural Subaquático dos Açores”.

O projecto expositivo itinerário está patente até 17 de Abril e surge no âmbito do Projecto Margullar 2, com co-financiamento Interreg-MAC e pretende dar a conhecer as histórias dos naufrágios documentalmente registados nos mares açorianos e a importância geoestratégica do arquipélago na expansão europeia do século XV, refere uma nota de imprensa do Executivo açoriano.

Aquário Vasco da Gama recebe tubarão raro

O Aquário Vasco da Gama, da Marinha Portuguesa, recebeu uma oferta muito especial de um pescador. Trata-se de um Tubarão-anão (Squaliolus laticaudus), uma raridade em Portugal.
A espécie foi identificada por um dos biólogos do Aquário que partilhou fotografias do exemplar com investigadores especializados no estudo de tubarões, os quais nunca haviam observado um animal destes, confirmando assim a sua raridade.
 

«BOTA-ABAIXO», MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO

A memória e a tradição da construção naval em madeira nos municípios de Ílhavo, Peniche e Murtosa

Nesta exposição recordam-se os patrimónios ligados à construção naval, tradicionalmente presente nestas áreas geográficas. Aqui se registam várias faces de um mesmo legado cultural, produzido e fortemente enraizado na história e na vivência dos povos do extremo ocidente europeu, destinados a virarem-se para o mar.

NO MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO, A 29 DE JANEIRO

Tanto Mar!

Tanto Mar que entra pelas salas do Museu adentro! Navega-se pelas aventuras da pesca do bacalhau e põe-se a imaginação a trabalhar. Pescam-se algumas ideias, descobrem-se tesouros e os segredos do fundo do mar! Uma vez por mês, o Museu dedica um dia inteiramente às crianças e às famílias, com oficinas e outras atividades, em que aprendizagem e diversão remam na mesma direção.

NO MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO

Exposição de fotografia «Peixografia», de Vasco Pinhol

Ao longo de sete anos, o fotógrafo subaquático Vasco Pinhol acompanhou, de dentro de água, a campanha da pesca tradicional do bacalhau ao largo de Ålesund, Noruega, um dos bancos de pesca do bacalhau milenares, talvez o único existente à vista de um centro urbano e o local de origem do bacalhau que vive no Aquário do Museu Marítimo de Ílhavo. Todas as fotografias foram tiradas senão em condições adversas, pelo menos em condições refrescantes - a temperatura da água esteve, frequentemente, perto do zero, com temperaturas do ar da ordem dos -10ºC.

De um espólio de milhares de fotografias resulta uma exposição fotográfica com um pouco do ambiente e da vida natural do bacalhau, bem como da sua pesca artesanal - uma espécie de biografia do peixe, a que o autor chamou, naturalmente, "Peixografia".

Visitas Sentidos de Mar: Comida das gentes da Ria | 12 de Dezembro

De barco desde o Mercado do Peixe até ao Cais dos Pescadores

As práticas alimentares das comunidades piscatórias da Costa Nova e da Gafanha da Encarnação em destaque nesta atividade, que visitará o interior do Mercado do Peixe da Costa Nova e o cais dos pescadores da Gafanha da Encarnação. A travessia será efetuada de barco (lancha), para observação das atividades da Ria, e acompanhada por pescadores.

16 DE NOVEMBRO

Dia Nacional do Mar com entradas gratuitas nos órgãos culturais da Marinha

A Marinha, através da Comissão Cultural de Marinha, associa-se desta forma às comemorações do Dia Nacional do Mar, promovendo a divulgação dos seus espaços culturais, intimamente ligados ao mar nas vertentes científica, histórico-cultural e militar-naval.

O Aquário Vasco da Gama, situado em Algés (Lisboa), abre ao público das 10h às 18h. O Museu de Marinha, em Belém (Lisboa), onde estão patentes as exposições temporárias "Fuzileiros: 400 anos" e "Projetar a Marinha no papel", está aberto a visitas das 10h às 17h.
A Fragata D. Fernando II e Glória, localizada em Cacilhas (Almada), recebe os seus visitantes também entre as 10h e as 17h.

Assinalado em Portugal desde 1997, o Dia Nacional do Mar evoca e lembra a importância que o mar tem para na história, identidade e economia em Portugal.

Museu-Vivo pioneiro da indústria conserveira vai ser inaugurado em Matosinhos

O novo núcleo museológico está vocacionado para a preservação de um legado único, um património material e imaterial da conserveira centenária de Matosinhos e das suas marcas.

Num edifício que mantém a traça arquitetónica e que, em 2020, recebeu a classificação de edifício de Interesse Municipal, a Pinhais lança o “Conservas Pinhais Factory Tour”, um Museu-Vivo pioneiro da indústria conserveira, que alia a sua fábrica histórica às suas marcas estratégicas Pinhais e Nuri.
 

ÍLHAVO | A 25 DE SETEMBRO

Ílhavo, caminhos da devoção ao Senhor Jesus dos Navegantes

No mês em que tradicionalmente se realiza, em Ílhavo, a festa do Sr. Jesus dos Navegantes, o Museu propõe uma visita que percorre os caminhos da procissão, com o acompanhamento de Hugo Calão, curador do recém-inaugurado Centro de Religiosidade Marítima. A visita começa, precisamente, neste novo espaço museulógico, onde os participantes podem ver, por exemplo, a miniatura do lugre bacalhoeiro "Navegante", que habitualmente segue no andor do Sr. Jesus dos Navegantes.

VILA DO CONDE

Alfândega Régia - Museu da Construção Naval

O edifício da Alfândega Régia - Museu de Construção Naval fica situado na rua Cais da Alfândega, no coração da zona ribeirinha de Vila do Conde, onde, outrora, laboraram os estaleiros navais vila-condenses.
Em pleno século XV, o apogeu do comércio marítimo provoca um crescente movimento nos portos do reino, ao qual o porto de Vila do Conde não é exceção. Assim, neste contexto D. João II, por carta de 27 de Fevereiro de 1487, cria a Alfândega Régia de Vila do Conde.

CIRCUM-NAVEGANDO

Do local ao global

Está patente ao público na Alfândega Régia-Museu de Construção Naval, em Vila do Conde, a exposição “Circum- -navegando …do local ao global – Transferir saberes através dos Oceanos – a construção naval”.

Nesta exposição, para além da contextualização histórica sobre a tipologia de embarcações usadas no período da expedição de Fernão de Magalhães e da descrição das técnicas construtivas utilizadas, são apresentados uma série de desenhos inéditos de uma Nau de 18 rumos, de cerca de 1580, executados a partir da interpretação técnica dos elementos apresentados no “Livro da Fabrica das Naos”, da autoria do Padre Fernando de Oliveira.

MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO - ATÉ 30 DE NOVEMBRO

Santos em Porcelana da Vista Alegre, de Carlos Manuel Teles Paião

Fruto de paixão e labor de toda uma vida, a colecção de imagens religiosas de Carlos Manuel Teles Paião, doada ao Município de Ílhavo em julho de 2021, apresenta-se como uma das mais importantes colecções conhecidas desta temática em porcelana da Fábrica da Vista Alegre. A colecção está exposta no recém-inaugurado Centro de Religiosidade Marítima, pólo museológico do Museu Marítimo de Ílhavo.

MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO

Centro de Religiosidade Marítima tem entrada livre até final do ano

O Centro de Religiosidade Marítima foi inaugurado a 8 de agosto, integrando as comemorações do 84.º aniversário do Museu Marítimo de Ílhavo. Este novo equipamento museológico, que passa a integrar o MMI, destina-se à preservação e à exposição de um valioso espólio de obras de arte e bens culturais de natureza religiosa que revelam a relação dos ilhavenses com o mar.

84.º Aniversário do Museu Marítimo de Ílhavo:

Centenário de Cândido Teles

No ano do centenário de Cândido Teles, as comemorações do 84.º aniversário do Museu Marítimo de Ílhavo centram-se, inevitavelmente, na vida e obra daquele que é um dos mais reconhecidos artistas ilhavenses, autor que melhor representou o território lagunar da região, as suas gentes, embarcações e paisagens. Exposições, oficinas e uma performance audiovisual – praticamente toda a programação prevista para 6 e 7 de agosto gira em torno do pintor e escultor Cândido Teles.

APLSS celebrou Dia Internacional dos Arquivos

O Arquivo dos Portos de Lisboa, Setúbal e de Sesimbra (APLSS) celebrou o Dia Internacional dos Arquivos com um conjunto de iniciativas e uma exposição subordinada ao tema “Construção Naval – Arte como ofício de vida”, do fotógrafo José Manuel Arsénio, que estará patente até ao final do mês de junho.

NUNCA ANTES MOSTRADO

O que revelam os arquivos dos portos de Lisboa, Sesimbra e Setúbal?

“Construção Naval – Arte como ofício de vida” é o nome da exposição que abriu quarta-feira ao público com fotografias de um antigo funcionário. As imagens revelam o trabalho de construção naval “na frente atlântica”. Para ver até ao final de junho.

MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO, 5 DE JUNHO

Filho de peixe sabe pintar

Os humanos são feitos de água e como portugueses feitos de Oceano Atlântico. Temos o mar dentro de nós. Deverá crescer connosco a vontade de o conhecer e de o cuidar. Esta é uma oficina de introdução às artes plásticas para bebés com os seus pais que pretende celebrar o oceano como um lugar vivo de criação e crescimento. Uma sala transformada num mar de papel é ao mesmo tempo um lugar para nadar e pintar, para sentir e transformar, para rir e crescer! Iremos explorar a gramática do desenho; pontos, linhas e manchas ao ritmo das correntes marítimas e dos ventos atlânticos.

Total: 294
[1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15