Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




Resolvido «o problema do gelo desaparecido»

Quanto mais água fica nos glaciares, menos há nos oceanos e, logo, mais baixo o nível do mar. Só que as contas nunca bateram certo. Até agora.

Durante os períodos glaciares, o nível do mar desce porque enormes quantidades de água ficam “armazenadas” em glaciares gigantescos interiores, ou seja, que não vertem água para o mar. Até agora, no entanto, não tinha sido possível conciliar os dados sobre o nível do mar com a espesssura dos glaciares, mesmo recorrendo aos modelos computacionais mais avançados. E a explicação é simples: cada uma destas medidas envolve uma abordagem científica diferente, tornando impossível a conciliação das duas informações.
 

Estudo do MARE-ISPA detecta mecanismos de adaptação na sardinha ibérica às alterações climáticas

Uma investigação do projecto SardiTemp, liderado pelo MARE-ISPA (Centro de Ciências do Mar e do Ambiente), demonstra que a sardinha ibérica tem potenciais vantagens na adaptação às alterações climáticas, mas ainda assim a subida da temperatura do mar pode levar a uma migração desta espécie para Norte.

“Devido ao aumento da temperatura da água, o que se espera é que as sardinhas acelerem o metabolismo e consequentemente o consumo de oxigénio. Decidimos analisar o DNA de genes envolvidos na produção de energia para ver se encontrávamos alguma ligação”, explica Miguel Baltazar-Soares, autor principal do artigo publicado na revista Genes.

À pesca das redes-fantasma

Marisa Almeida coordena, em Matosinhos, o projeto NetTag, em que várias instituições europeias procuram a solução para as redes de pesca e armadilhas perdidas no oceano – um dos grandes problemas ambientais

Todos os anos perde-se qualquer coisa como 640 mil toneladas de redes e armadilhas utilizadas nas artes de pesca. Uma consequência (quase) inevitável da atividade e um dos mais graves problemas que os oceanos enfrentam, causando a morte de milhares de tartarugas, golfinhos, tubarões e muitas outras espécies de peixes e mamíferos marinhos. Com o tempo, essas redes acabam por se decompor, dando origem aos microplásticos.

Navio de Investigação do IPMA «Mário Ruivo»

A instalação de novos equipamentos no Navio de Investigação do IPMA “Mário Ruivo” é um dos projetos pré-definidos do Programa Crescimento Azul dos EEA Grants 2014-21.
A aquisição do Navio já tinha sido concretizada no âmbito dos EEA Grants 2009-2014. Para o novo período do programa está prevista a instalação de novos equipamentos científicos que possibilitam sobretudo a monitorização acústica e o mapeamento do fundo do mar.

Relatório da ONU sobre oceanos tem dedo luso

A professora Maria João Bebianno foi a única portuguesa a integrar um grupo de 25 peritos nomeados pela Organização das Nações Unidas (ONU) para elaborarem o segundo relatório do estado dos oceanos. O documento demorou quatro anos a preparar e foi aprovado no final de 2020. Identifica problemas, soluções e deverá contribuir para que sejam alcançados os objetivos de desenvolvimento sustentável da agenda 2030 da ONU.

Física por trás dos castelos de areia comprova teoria de 150 anos

Construir castelos de areia na praia é uma tradição consagrada pelo tempo em todo o mundo. Recentemente, ajudou uma equipa de investigadores a resolver um mistério de 150 anos: a equação de Kelvin.

Segundo o SciTechDaily, os investidores conseguiram desmistificar, em laboratório, o microscópico processo de condensação capilar. As conclusões desta equipa provam que Lord Kelvin, um dos grandes pioneiros da Física, estava certo e errado ao mesmo tempo.

Navio da Marinha investiga e estuda o mar da Madeira

O navio hidrográfico Almirante Gago Coutinho efetuou levantamentos hidrográficos, realizou o lançamento de boias derivantes no âmbito de uma cooperação com o Global Drifter Program – NOAA e ainda a colheita de diversas amostras de água superficial para análise de microplásticos no âmbito do projeto Volta ao Mundo Sagres 2020, naquela região.

Nova Estratégia Nacional para o Mar

Ricardo Serrão Santos considera que os Açores têm dado um grande contributo

O ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, considera que os Açores têm dado “um grande contributo” para a nova Estratégia Nacional para o Mar 2021-2030, afirmação feita durante a apresentação da proposta no Teatro Faialense, na cidade da Horta.

Ricardo Serrão Santos enumerou a investigação científica relacionada com o mar, as publicações de relevo produzidas pela Universidade dos Açores e a classificação de várias áreas marinhas protegidas por iniciativa da região autónoma como exemplos dos contributos.

VEJA O VÍDEO

Criação de corais mais resistentes em laboratório

Rui Rocha e Ana Costa, Investigadores do CESAM - Laboratório Associado da Universidade de Aveiro tem vindo a desenvolver investigação que visa a criação de corais mais resistentes em laboratório. Este trabalho poderá contribuir para o restauro de recifes de coral em ambientes naturais.

Lesmas do Mar que roubam Cloroplastos a Algas

Sónia Cruz e Paulo Cartaxana, Investigadores do CESAM - Laboratório Associado da Universidade de Aveiro falam-nos do seu trabalho com lesmas marinhas. Estes moluscos têm a capacidade de sequestrar e reter cloroplastos funcionais no seu organismo. Descobrir como este mecanismo natural poderá permitir o desenvolvimento de aplicações na área da biotecnologia e desvendar processos evolutivos são objectivos desta equipa de investigação.

Aplicação ajuda a navegar na Ria de Aveiro

Para facilitar e dar segurança a quem navega na ria, a equipa de João Dias criou uma aplicação de uso livre chamada HidroRia: "Consegue fazer previsões de maré para cada um dos portos de pesca e de recreio da região. E conhecer a forma como a maré se desloca até à cabeceira dos vários canais", explica.

Descobertos novos compostos em algas da costa portuguesa

São anos de investigação, entre os mergulhos junto à costa de Peniche e nas Berlengas para recolher algas e microrganismos marinhos, e o trabalho no laboratório, naquela cidade costeira: o centro MARE-Politécnico de Leiria, que estuda as potencialidades dos recursos marinhos para aplicações em biotecnologia, nas áreas da saúde, alimentar, farmacêutica ou cosmética.

10,4 milhões de euros para projecto liderado por investigadora portuguesa

É a primeira vez que um investigador português na área das Humanidades recebe uma bolsa ERC Synergy. O objetivo do projeto é estudar impacto da vida marinha nas sociedades humanas.

O Conselho Europeu de Investigação Europeu (ERC) atribuiu uma bolsa no valor de 10,4 milhões de euros a um projeto liderado por uma investigadora portuguesa da Universidade Nova de Lisboa (UNL). É a primeira vez que uma investigadora (ou investigador) portuguesa da área das Humanidades recebe uma bolsa ERC Synergy.

 

ONLINE, A 16 DE OUTUBRO

5.º Encontro GelAvista

O 5º Encontro GelAvista será já no dia 16 de outubro. Desta vez em formato online, terá início pelas 16H (UTC 01:00), e 15H nos Açores e Madeira.

Este ano o Encontro GelAvista é dedicado aos Açores e nele vão ser apresentados, por videoconferência, os resultados mais recentes do programa GelAvista, obtidos a partir da informação enviada voluntariamente pelos cidadãos sobre as medusas e outras espécies gelatinosas que ocorrem em Portugal.

MINISTRO DO MAR:

Pradarias marinhas necessitam de mais investigação científica

"É preciso estimular a ciência a preencher as lacunas de conhecimento ainda existentes sobre as pradarias marinhas, os mangais, as zonas húmidas e outros ecossistemas fulcrais para a vida marinha, que precisam de preservação especial, e que são também sumidouros naturais de dióxido de carbono”, defendeu esta quarta-feira, o Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, na mesa redonda “Build Back Bluer: the Plan for 2020-2021”, organizada pelos Emirados Arábes Unidos, no contexto da Assembleia Geral da ONU e da Cimeira da Biodiversidade das Nações Unidas.

Vida em Marte ligada às salinas de Aveiro

Um cientista português que lidera uma unidade de astrobiologia em Macau disse à Lusa que está envolvido em projetos para descobrir vida em Marte, uma missão com paragens previstas em Cabo Verde e nas salinas de Aveiro.

“Temos atualmente saídas de campo, recolhas de amostras programadas para cabo verde, interior da china, salinas em Aveiro, salinas que existem no interior de Espanha, porque todas elas têm condições que são extremamente interessantes e bastante úteis para o estudo de Marte”, salientou o responsável pela unidade de astrobiologia do Laboratório de Referência do Estado para a Ciência Lunar e Planetária da MUST.

A Terra primitiva pode ter sido um mundo de água

A Terra primitiva, lar das primeiras formas de vida do planeta, pode ter estado completamente coberta de água, de acordo com um novo estudo.

Publicado na revista científica Nature Geoscience, aproveita uma peculiaridade da química hidrotermal para sugerir que a superfície da Terra estaria completamente coberta por um oceano há 3.200 milhões de anos.

Descobertos jardins de corais em misteriosos desfiladeiros subaquáticos

Uma equipa de cientistas encontrou jardins de corais no fundo do mar, durante uma expedição oceânica de um mês na costa do sudoeste da Austrália.

A equipa de investigadores da Universidade da Austrália Ocidental (UWA) explorou áreas nunca antes vistas do desfiladeiro submarino de Bremer, com a ajuda de um veículo operado remotamente apelidado de SuBastian.

Secretário do Mar e directora regional da Madeira enaltecem qualidade do trabalho científico do Centro de Ciências do Mar

A investigação a partir de uma abordagem “integradora e holística” que é desenvolvida pelo Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), mereceu as melhores referências do secretário Regional de Mar e Pescas da Madeira, Teófilo Cunha, e da directora regional do Mar, Mafalda Freitas, no final de uma visita que ambos realizaram às instalações daquele Centro, instalado na Quinta do Lorde Marina, no Caniçal, dirigido pelo investigador principal João Canning Clode.

Comportamento emocional em organismos-modelo aquáticos revisto por investigadores da Universidade de Évora

Os investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-UE) da Universidade de Évora (UÉ), Filipe Banha e Pedro Anastácio, integraram uma equipa de investigadores que reviu o conhecimento sobre comportamento emocional em organismos-modelo aquáticos, utilizando como objecto de estudo lagostins e peixes-zebra, espécies que têm uma considerável homologia genética, fisiológica e comportamental com mamíferos.

Total: 144
[1] 2 3 4 5 6 7 8