Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




JANEIRO DE 1918

Estamos sem navegação para o Brasil

"Estamos na situação que ha muito desejavamos; sem navegação para o Brazil. Este facto regubila-nos e oxalá a situação se prolongue. O ultimo vapor para o Brazil e Rio da Prata, sahiu em meados do mez passado e não sabem as agencias quando haverá outro".

ARGUS

Pode um navio contar a história da pesca do bacalhau?

Este navio teve duas vidas e está a caminho da terceira. Foi bacalhoeiro português nos bancos da Terra Nova e da Gronelândia. Foi cruzeiro turístico nas Caraíbas, quem sabe se não foi como um barco do amor. E agora, que regressou ao país de origem depois de ter sido resgatado do abate nas Antilhas Holandesas, a ideia é torná-lo num navio-memória da sua primeira vida. O Argus ficou célebre mundialmente, tudo por causa de um livro que apareceu em 1951 nas principais livrarias de Londres e Nova Iorque e, pouco depois, em Portugal: A Campanha do Argus — Uma Viagem na Pesca do Bacalhau.

1950

Amália a bordo de fragata da Marinha Portuguesa, no Funchal

"E então não foi preciso dar ordens para que todos estivessem fardados com  o cuidado dos grandes dias, barbeados, escrupulosamente limpos, navio arrumadíssimo com as cobertas como um brinquinho. Dava gosto ver tudo e todos".

10 DE OUTUBRO DE 1861

Nascimento de Fridtjof Nansen

Fridtjof Wedel-Jarlsberg Nansen (Oslo, 10 de outubro de 1861 — Lysaker, 13 de maio de 1930) foi um cientista, explorador polar, aventureiro e político norueguês. Enquanto delegado norueguês na Liga das Nações criou o passaporte Nansen para os refugiados, tendo sido galardoado com o Nobel da Paz em 1922. A sua expedição, composta por seis homens, partiu em 1888. Enfrentou um ambiente totalmente hostil. Doze dias passaram antes da equipa ser sequer capaz de pisar o continente, depois de abandonar a segurança do principal navio da expedição.

9 DE OUTUBRO DE 1810

A Batalha de Dois Portos

Por vezes, são os momentos menos espectaculares ou até quase esquecidos, que se revelam decisivos numa guerra prolongada. Foi o caso da chamada “Batalha de Dois Portos”, episódio pouco conhecido da terceira invasão francesa.
No dia 9 de Outubro de 1810, o exército aliado chegava às Linhas de Torres, sempre seguido de perto pela cavalaria francesa, em distância à vista.

1500 memórias 100 anos no mar

Ao final da tarde de domingo, a bARCA da Memória partiu do cais da Ribeira rumo ao Porto do ano de 2112 com 1500 memórias a bordo. Conheça alguns dos fragmentos que o Porto 2012 deixou para o futuro. A escolha ficava ao critério de cada um. Por isso, entre as memórias que daqui a um século farão as delícias dos portuenses, poder-se-ão encontrar muitos e variados objetos. Há os tradicionais postais, cachecóis, quadros, fotografias, poemas e dedicatórias, mas há, também, muitas e muitas coisas fora do comum.

GAZETA DOS CAMINHOS DE FERRO, 1 DE DEZEMBRO DE 1902

Mais impermeáveis, menos álcool

"O que augmenta é a importação dos tecidos impermeaveis, fabrico novo que ainda não está representado em Portugal, mas que o devia estar. A importação do alcool desceu. A propria cerveja entrou em menor quantidade. Tal era o preço arrastado do vinho".
"Vejamos agora o que nos dizem os quadros relativos á navegação a vapor e de vela. O numero de entradas de navios nos portos do continente e ilhas adjacentes foi de 10.697 com a arqueação total de 11.736 888 toneladas. Attingiu-se a maior arqueação desde 1879, embora fosse menor o numero de entradas do que em 1889 em que ascendeu a 12.043".

VIAJANDO PELA HISTÓRIA

A Bola NIVEA

Antes da bola de praia, houve a bola NIVEA. E tomou o mundo de assalto. Originalmente criada na década de 1930 como uma versão 3D da lata do NIVEA Creme, a Bola NIVEA insuflável foi criada para ajudar as pessoas a aproveitar ao máximo o seu tempo de lazer passado no exterior. As bolas gigantes, por seu turno, tornaram-se autênticos ícones das praias mundo fora. Nuno Markl conta-nos tudo.

GAZETA DOS CAMINHOS DE FERRO, 1 DE MAIO DE 1902

Vapores a sahir do Porto de Lisboa

"Os vapores teem magnificas accommodações para passageiros. Nos preços das passagens inclue-se vinho de pasto, comida á portugueza, cama, roupa, propinas a criados e outras despezas".

1 DE OUTUBRO DE 1926

As regatas da Trafaria e de Paço d'Arcos

Reportagem ilustrada das regatas da Trafaria e de Paço d'Arcos, pela revista "Ilustração", edição de 1 de Outubro de 1926.

AUTOR DE «MOBY DICK»

Herman Melville morreu a 28.09.1891

Herman Melville (1 de Agosto de 1819, Nova York, — 28 de Setembro de 1891, Nova York, EUA) foi um escritor, poeta e ensaísta estadunidense. Embora tenha obtido grande sucesso no início da sua carreira, a sua popularidade foi decaindo ao longo dos anos. Faleceu quase completamente esquecido, sem conhecer o sucesso que a sua obra mais importante, o romance Moby Dick, alcançaria no século XX. O livro, dividido em três volumes, foi publicado em 1851 com o título "A Baleia" e não obteve sucesso de crítica, tendo sido considerado o principal motivo para o declínio da carreira do autor.

1589

O naufrágio da nau N.ª Sr.ª do Rosário em Tróia

Possivelmente devido à presença e ao ataque das forças inglesas, sob o comando de sir Francis Drake, à Península Ibérica, em especial à Corunha e a Lisboa, o regresso das frotas das Índias estava a decorrer bastante mais tarde do que era habitual.

17 DE MAIO

Em 1895, Francisco Corte Real fez Terceira-S. Miguel no barco de papel «Autonomia»

Recordamos façanha de há muitos anos atrás, protagonizada por Francisco Moniz Barreto Corte Real, ao perfazer um invulgar travessia interinsular (Terceira-São Miguel), avaliada em 90 milhas, com a duração de 31 horas, utilizando um barco de papel.
A partida teve início em Angra na madrugada do dia 17 de Maio de 1895, e a chegada a Ponta Delgada na manhã do dia seguinte.
Fê-lo para festejar a autonomia açoriana concedida em 2 de Março de 1895, por um governo regenerador do micaelense Ernesto Rodolfo Hintze Ribeiro.
 

1902

Jogos de azar proibidos nas praias portuguesas

A “discussão” era grande nas praias portuguesas, em 1902, tudo a ver com a proibição definitiva dos jogos de azar nas estâncias balneares. Decisão de ministro do reino, “com certa energia desusada em ministros do reino…”
A “Gazeta dos Caminhos de Ferro” de 1 de Setembro daquele ano reportava, com detalhe, o candente tema.

A 29 DE SETEMBRO, EM LISBOA

Encontros de Património e História Ferroviária

No dia 29 de Setembro de 2012, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, vai ser apresentado, analisado e debatido o panorama nacional das publicações periódicas ferroviárias.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA - 1916

A falta da Marinha Mercante não deixa desenvolver a Agricultura

"Só o vinho poderiamos exportar em boas condições, mas a falta da marinha mercante nacional, tem dado lugar a que a Italia e a Hespanha nos tenham quasi escorraçado dos mercados do Brasil, e se lhe não acudimos a tempo a nossa exportação será nula".

PORTUGAL, PAIZ EXCESSIONALMENTE TALHADO PARA O TURISMO

e, em breve para os portos do Pacífico, em direitura, por essa obra admirável da engenharia, o canal do Panamá

"Não creio que haja no mundo um país com tão boas condições naturaes para o turismo, como Portugal. A nossa situação privilegiada no extremo ocidental da Europa, com o melhor porto da Península, d’onde irradiam linhas de navegação para todo o Brazil, para a Argentina, e, em breve para os portos do Pacífico, em direitura, por essa obra admirável da engenharia, o canal do Panamá, e de onde partem linhas férreas para o centro da Europa, como o melhor encurtamento da viagem transatlântica, com uma extensa praia de finas areias de oiro, onde o mar se espreguiça n’uma extensão de mais de 200 leguas mineraes para todas as doenças e, sobretudo, com uma paisagem de idílios e fantasias sempre verde, formam um conjunto de riquezas para o turismo, como nenhum pais possue".

HISTÓRIAS DO MAR EM VÍDEOS | 1926

Temporal na Boca do Inferno, em Cascaes

“Actualidades Portuguezas”, documentário realizado por Júlio Worm, em 1926. Filme com 9’ 51’’, disponibilizado online pela Cinemateca Portuguesa.
“Toda aquela costa é interessante quando o vento sopra do SO e a maré enche”, lê-se na introdução ao excerto dedicado ao temporal na Boca do Inferno.

UM VÍDEO EM DESTAQUE

Afundamento do Augusto Castilho

Documentário alemão reportando o afundamento do Augusto Castilho, em 1918. Filme com 5’ 20’’, disponibilizado online pela Cinemateca Portuguesa.
O NRP Augusto de Castilho foi um navio de guerra ao serviço da Marinha de Guerra Portuguesa durante a Primeira Guerra Mundial. Apesar de ser, frequentemente, referido como caça-minas, o Augusto Castilho era, na realidade, um patrulha de alto mar. Foi afundado em combate, originando as últimas baixas portuguesas naquele conflito.

CANAL INTEROCEÂNICO -1902

No Panamá ou na Nicarágua?

Foi construído no Panamá, como se sabe, mas em 1902 parece que Roosevelt tinha dúvidas. Mais de cem anos depois, o sandinista Daniel Ortega retoma o tema e quer avançar com o Canal da Nicarágua.

Total: 805