Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




SÉRGIO CARVALHO, ONU

Pandemia provocou atraso nos esforços de protecção dos oceanos

O conselheiro na Missão Permanente de Portugal junto da Organização das Nações Unidas (ONU), Sérgio Carvalho, admitiu que a pandemia de covid-19 levou a "alguns passos na direcção errada" na estratégia global de protecção dos oceanos e da vida marinha.

O responsável falava num seminário que se realizou na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) sobre a 2ª Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, que vai decorrer entre 27 de junho e 1 de julho em Lisboa.

VIANA DO CASTELO

Exercício de combate à poluição «ATLANTIC POLEX.PT 2022» decorreu com sucesso

A Direção de Combate à Poluição do Mar, da Autoridade Marítima Nacional, organizou, nos dias 04 e 05 de maio, o exercício anual de resposta a incidentes de poluição no mar “ATLANTIC POLEX.PT 2022”, que decorreu em Viana do Castelo.

ESTE DOMINGO

Marinha organiza recolha do lixo na Praia de Faro e limpeza subaquática na Ilha da Culatra

Este domingo, dia 8 de maio, das 9h30 até às 12h, a Marinha Portuguesa organiza, em conjunto com o Zoomarine, uma recolha de lixo na praia de Faro, na qual a população poderá também participar.

​No mesmo dia irá ocorrer, durante a manhã, a limpeza subaquática na Ilha da Culatra, com a participação de mergulhadores da Marinha, mergulhadores civis e de diversas entidades.

QUARTA E QUINTA-FEIRA

Viana do Castelo recebe exercício de combate à poluição «ATLANTIC POLEX.PT 2022»

Realiza-se, a 4 e 5 de maio, no concelho de Viana do Castelo, mais uma edição do exercício de combate à poluição no meio marinho “ATLANTIC POLEX.PT 2022”, organizado pela Direção de Combate à Poluição do Mar da Autoridade Marítima Nacional.

«Praia Limpa» procura voluntários para acção na Vagueira (Vagos)

É já no dia 1 de Maio, pelas 8h30, que decorre a habitual iniciativa “Praia Limpa”, na Praia da Vagueira, organizada pela associação Charcos & Companhia e A Balsa com o apoio do Município de Vagos.
As inscrições encontram- se abertas até dia 28 de abril.

Portos da Madeira querem contribuir para a redução de gases com efeitos-estufa

Os Portos da Madeira, para continuarem a ser competitivos e estarem enquadrados na estratégia climática europeia, têm de contribuir para a redução de gases com efeitos-estufa. Vão ser analisados o abastecimento eléctrico dos navios nos portos do Funchal, Porto Santo e Caniçal e também o uso de combustíveis alternativos.

Dia Mundial da Terra abraça o Oceano

Estão a decorrer mais de 150 iniciativas para mobilizar e sensibilizar a sociedade civil sobre a importância do Oceano para o Planeta Terra. Nunca é demais lembrar, nunca será demais proteger.

O desafio lançado pela Fundação Oceano Azul a mais de uma centena de organizações resulta num conjunto de iniciativas que marca a semana em curso. De exposições e conferências, a ações de limpeza costeira e sessões especiais em sala de aula, há atividades para todas as idades no continente e ilhas.

Porque necessitamos de uma grande conferência sobre os oceanos?

As Nações Unidas, com o apoio dos Governos de Portugal e do Quénia, vão acolher a Conferência dos Oceanos da ONU em Lisboa, de 27 de Junho a 1 de Julho de 2022.

A conferência é um apelo à acção pelos oceanos – exortando os líderes mundiais e todos os decisores a aumentar a ambição, a mobilizar parcerias e aumentar o investimento em abordagens científicas e inovadoras, bem como a implementar soluções baseadas no respeito pela natureza para reverter o declínio na saúde dos oceanos. O processo inclusivo também pedirá às comunidades, empresas e indivíduos que desempenhem o seu papel para conter a poluição marinha e se comprometam com o consumo responsável dos recursos oceânicos.

Robô «bola de algas» usa fotossíntese como combustível para monitorizar águas

Uma equipa de investigadores desenvolveu um dispositivo em forma de bolas de alga para monitorizar as águas, que promete ser amigo do ambiente.

O marimo, vulgarmente conhecido como “bolas de alga” ou “bolas de musgo”, é uma espécie em forma de esfera e em perigo de extinção, que se encontra normalmente no Japão e Norte da Europa. A espécie, que habita nos fundos da água doce, tais como lagos e rios, gera oxigénio para a superfície da água, tal como é habitual nas plantas hidrofítas.

Redes-Fantasma - Impactos negativos na fauna e habitats

Anualmente, chegam ao mar cerca de 10 milhões de toneladas de lixo, das quais aproximadamente 640 mil toneladas são artes e material de pesca perdido, rejeitado ou abandonado no oceano. Estas “redes-fantasma” têm impactos negativos na fauna e habitats
O projecto “Nem tudo o que vem à rede é peixe” pretende quantificar os impactos das redes-fantasma na costa Portuguesa e propor medidas mitigadoras envolvendo a substituição das redes clássicas por redes biodegradáveis.

Junto a Tróia, a várias mãos, ajuda-se uma pradaria marinha a renascer

Depois da retirada de um longo cabo de amarração que estava a danificar as ervas marinhas da pradaria Soltróia, há cerca de um mês, a equipa vai agora começar com o restauro activo. A Wilder falou com Raquel Gaspar, coordenadora do projecto.

Raquel Gaspar, bióloga marinha e dirigente da associação Ocean Alive, não poupa palavras para transmitir a importância que as pradarias marinhas têm para a biodiversidade e para o combate às alterações climáticas.

«Portos dos Açores» promove operação de limpeza de segurança dos fundos de serviço da bacia sul do Porto da Horta

A Portos dos Açores, S.A. (PA) promoveu no sábado, 26 de fevereiro, uma operação de limpeza de segurança dos fundos de serviço da bacia sul do Porto da Horta, iniciativa que envolveu variadas entidades oficiais e empresas privadas, além de cerca de seis dezenas de voluntários, entre os quais 20 mergulhadores, na generalidade com utilização de garrafas de oxigénio.

COM VÍDEO

O lixo marinho não nasce no mar

As estatísticas sobre o lixo marinho não deixam quaisquer dúvidas sobre a gravidade deste problema que afeta todos os oceanos do Mundo. Cerca de 80% do lixo marinho tem origem terrestre e só acabou no mar porque não foi devidamente encaminhado. Estima-se que 80% do lixo marinho seja plástico e que, destes, 40% sejam plásticos descartáveis.

União Europeia optimista com possível acordo global sobre plásticos este mês em Nairóbi

A União Europeia está optimista com a possibilidade de chegar a um acordo global sobre o plástico na reunião da quinta sessão da Assembleia Ambiental das Nações Unidas (UNEA), que abre em 28 de fevereiro em Nairobi.

O comissário europeu para o Ambiente, Oceanos e Pescas, Virginijus Sinkevicius, afirmou na sede da ONU que a gestão dos resíduos plásticos será sem dúvida um dos grandes temas desta cimeira ambiental porque o plástico – especificou – representa 80% da poluição dos mares e oceanos.

Porto de Setúbal, Ocean Alive, RNES e Capitania recuperam pradaria marinha no Sado

Numa acção conjunta da APSS, da Ocean Alive, da RNES e da Capitania do Porto de Setúbal, foi removido um cabo submerso com cerca de 200 metros, que servia de base à ancoragem de embarcações, na zona de Soltróia, no rio Sado.

O cabo, instalado há vários anos, acabou por entrar em contacto com uma pradaria marinha em fase de desenvolvimento, o que levou à sua remoção.

Os peixes estão a movimentar-se devido às alterações climáticas

Cerca de 45% dos stocks de peixe vão mudar as suas rotas de migração devido às alterações climáticas até ao ano 2100. Isto pode gerar um conflito internacional porque, segundo o estudo da Universidade da Colúmbia Britânica (UBC), 81% das zonas económicas exclusivas (ZEE) verão, pelo menos, uma mudança nos stocks – caso não hajam quaisquer mudanças.

A investigação analisou a variação de mais de nove mil stocks de peixe, que integram 80% das capturas nas ZEEs. Em 2030, essa mudança migratória já será notada em 23% dos stocks.

11 embarcações de pesca madeirenses já recolheram 1 tonelada de lixo marinho

O Executivo madeirense informa que mais de 70 pescadores, armadores e funcionários das lotas já participaram nas suas acções de formação e sensibilização para a recolha de lixo marinho e gestão do lixo produzido a bordo das embarcações, campanha da responsabilidade da Secretaria Regional de Mar e Pescas, através da Direcção Regional de Pescas e Direcção Regional do Mar, no âmbito do projecto OceanLit.

Já nem as áreas remotas do Planeta são seguras para os peixes

As zonas mais remotas da Terra são consideradas, por norma, locais onde a biodiversidade pode prosperar e onde as ameaças às espécies são escassas. No entanto, no caso dos peixes, a situação pode não ser bem assim.

Uma equipa de cientistas, no âmbito de uma investigação da Universidade de Helsínquia, criou um mapa global de risco para as populações de peixes. Foram analisadas mais de 6 mil espécies de peixes e 119 de corais, a sua distribuição e respetivas características ecológicas, bem como as interações entre si.

«Corredores verdes» podem acelerar a descarbonização marítima

A consultora McKinsey lançou um trabalho onde reflete sobre a necessidade de descarbonização do setor do transporte marítimo de mercadorias. Segundo a empresa, aproximadamente 80% de todo o comércio passa pelo setor, sendo que este também representa cerca de 3% do total de emissões de CO 2 – uma quantidade que, se não for controlada, pode aumentar para o dobro até 2050.

Assim, explica a McKinsey que, “reconhecendo a necessidade de ação climática, a Organização Marítima Internacional (IMO) determinou reduções de emissões de 50% para todos os navios até 2050”, sendo que vários países – incluindo Japão, Reino Unido e Estados Unidos – declararam uma meta de emissões líquidas zero para o mesmo período.

Marina de Lisboa tem novos equipamentos para recepção de resíduos oleosos e perigosos

O Porto de Lisboa informa que estão disponíveis nas docas de recreio da Marina de Lisboa novos equipamentos para a recepção de resíduos oleosos e perigosos.
A par da substituição dos oleões, tambores e colocação de bacias de retenção que evitam escorrências e derrames no solo “é essencial promover a correcta utilização destes equipamentos”, refere uma nota de imprensa do Porto de Lisboa.

Total: 762