Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




JOSÉ LUÍS CACHO, PRESIDENTE DA APP:

Portugal pode ser alternativa a abastecimento de gás da Europa

O Presidente da Associação dos Portos de Portugal (APP) defendeu quinta-feira que Portugal pode ser uma solução alternativa para resolver o abastecimento de gás na Europa, com vista a reduzir as importações da Rússia.

“Portugal pode contribuir como solução alternativa, que resolva o problema de abastecimento da Europa”, afirmou José Luís Cacho, que falava aos jornalistas, à margem da assinatura do protocolo entre a APP e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários do Brasil (ANTAQ), em Lisboa. Conforme apontou, os portos nacionais têm capacidade de expansão, de modo a poderem receber mais gás. Por exemplo, em Sines existe a possibilidade de descarregar dois navios em simultâneo.

Investimento no Porto de Sines é essencial, diz Ministro do Ambiente

O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que a Europa deve “diversificar as suas fontes energéticas”, acrescentando que um investimento no Porto de Sines é essencial:

“Sines tem hoje capacidade para abastecer com Gás Natural Liquefeito (GNL) todo o mercado português, até é sobrante a capacidade que tem. Pode ser uma importantíssima porta de entrada para esse mesmo GNL”, disse o Ministro, após participar no seminário América Latina e União Europeia: dois parceiros estratégicos na cena mundial.

Terminal de Sines assegurou 100% do abastecimento de gás natural em Portugal durante fevereiro

O Terminal de Sines assegurou a totalidade do abastecimento de gás natural em Portugal durante o mês de fevereiro, tendo-se ainda registado exportações, através da interligação com Espanha, equivalentes a 10% do consumo nacional, informou a REN esta quinta-feira.

Segundo dados da REN – Redes Energéticas Nacionais, o mercado de gás natural registou em fevereiro um crescimento homólogo de 21%, impulsionado pelo segmento de produção de energia elétrica, que aumentou quase 400% “devido à reduzida disponibilidade de energia renovável, ao contrário do que tinha acontecido no período homólogo anterior”.

Porto de Sines garante haver espaço para um novo terminal de gás liquefeito

O Presidente da Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS), José Luís Cacho, garante que “há capacidade para construir um novo terminal de gás natural liquefeito (GNL) e de aumentar a capacidade de armazenamento”.

Segundo afirmou o presidente da APS ao “Jornal de Negócios”, se a área que a REN – Redes Energéticas Nacionais já explora em Sines não for suficiente “pode ser construído um novo terminal para que possam ser recebidos mais navios”.

DOURO

Barra terá flutuadores para produção de energia a partir das ondas

O molhe norte da barra do rio Douro, no Porto, albergará uma unidade flutuante de pequena produção de energia renovável a partir das ondas, um projecto-piloto de 10 anos, foi publicado dia 14 em Diário da República (DR).

De acordo com um edital da APDL - Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, foi apresentado à entidade, pela empresa EW Portugal --- Wave Energy Solutions "um pedido para atribuição de título de utilização de recursos hídricos, de iniciativa particular, para utilização privativa de uma parcela do Domínio Público Hídrico, localizada no molhe norte da barra do Douro, concelho do Porto".

Parlamento Europeu quer aumentar produção de energia eólica no mar, incluindo no Atlântico

“Os Estados-Membros ocidentais da UE na costa atlântica [como Portugal] têm um elevado potencial natural para a produção de energia eólica marítima fixa e flutuante”, segundo o Parlamento Europeu.

O Parlamento Europeu (PE) propôs agora medidas para acelerar a criação de parques eólicos marítimos, incluindo no Oceano Atlântico, a fim de contribuir para o cumprimento dos objetivos climáticos da União Europeia.

Biocombustíveis são «parte da solução» para a poluição dos navios, diz Prio

O desafio da descarbonização dos navios juntou esta terça-feira, na Ordem dos Engenheiros, vários especialistas, num webinar. O potencial dos biocombustíveis mereceu destaque.

A conferência, um webinar acompanhado pelo Watts On, juntou diferentes representantes da fileira do transporte marítimo, casos de Pedro Amaral Frazão (Administrador do Grupo Sousa), Jorge Antunes (CEO da Tecnoveritas), Cristina Correia (Diretora de I&D e de inovação da Prio) e Diogo Almeida (Responsável de desenvolvimento do negócio de hidrogénio da Galpenergia).

NO PRIMEIRO ANO EM FUNCIONAMENTO

Primeira central offshore em Portugal resistiu a ventos de 130 quilómetros e ondas de 14 metros

A primeira central eólica marítima (offshore) em Portugal já produziu eletricidade suficiente para abastecer 60 mil famílias durante um ano, o que seria suficiente para quase abastecer, em separado, Santarém, Palmela, Figueira da Foz ou a vizinha Póvoa de Varzim.

O projeto Windfloat está a operar a 100% desde julho de 2020 e produziu um total de 75 gigawatts hora (GwH), produzindo um total de 3.800 horas no espaço de um ano.

A turbina de marés mais potente do mundo já está a funcionar

A mais poderosa turbina de marés do mundo já está em funcionamento no arquipélago escocês de Orkney. A turbina O2, que pesa 680 toneladas métricas, começou a funcionar, marcando um grande passo para o sector de energia marinha do Reino Unido.

A Orbital Marine Power explicou, em comunicado citado pelo Interesting Engineering, que a turbina de 2 megawatts foi ancorada num corpo de água chamado Fall of Warness, com um cabo submarino a ligá-la a uma rede elétrica local em terra, no Centro Europeu de Energia Marinha em Orkney.

Porto de Viana do Castelo na rota da exportação de Biomassa para o mercado europeu

O Porto de Viana do Castelo vem-se consolidando como peça importante na «rota da exportação de biomassa para o mercado europeu», salienta uma comunicação da infra-estrutura portuária portuguesa.
O texto enfatiza o papel (cada vez mais consolidado) do Porto de Viana do Castelo na exportação de biomassa com destino ao mercado do velho continente, nomeadamente de pellets, uma fonte de energia renovável pertencente à classe da biomassa, e que os mesmos são usados para aquecimento e para produção de energia, seja a nível doméstico ou industrial.

SINES

Infraestruturas de Portugal investe 6 milhões de euros para ligar novas fábricas da Repsol

O ramal ferroviário de acesso ao complexo petroquímico da Repsol em Sines vai ser reabilitado, num investimento de cerca de seis milhões de euros.
Segundo informação divulgada pela IP, está prevista a reabilitação do ramal de Sines e do ramal do complexo petroquímico, permitindo a ligação das instalações da Repsol à Rede Ferroviária Nacional, tanto para Espanha como para o Terminal XXI.


 

EDP lidera consórcio de investigação sobre offshore de hidrogénio verde

"A EDP, a TechnipFMC e outros parceiros de investigação estão a unir esforços para desenvolver um estudo conceptual para avaliar a viabilidade técnica e económica de uma nova plataforma 'offshore' para produção de hidrogénio verde com recurso a energia eólica", informou a empresa, em comunicado.

Além da EDP, que é a coordenadora do projeto Behyond, através da participação da EDP NEW e da EDP Inovação, fazem parte do consórcio a TechnipFMC, "uma empresa líder no desenvolvimento de projetos e soluções de engenharia 'offshore', os centros de investigação CEiiA -- Centro de Engenharia e Desenvolvimento, o WavEC-Offshore Renewables e a Universidade do Sudeste da Noruega.

SINES

Zona Industrial e Logística com carregador rápido para veículos elétricos e híbridos

Um carregador rápido para veículos elétricos e híbridos foi instalado e já está a funcionar na ZILS – Zona Industrial e Logística de Sines, numa iniciativa da Helexia e da aicep Global Parques.

“A infraestrutura tem ligação à rede pública da MOBI.E., o que permite ser utilizada por qualquer utilizador com um veículo elétrico ou híbrido”, explicaram os promotores, indicando ainda que os novos carregadores rápidos da Helexia “possuem tomadas de 50 kW em DC e 43 kW em AC, permitindo carregar dois veículos em simultâneo”.

Leixões apresenta o primeiro camião eléctrico na operação portuária

A APDL apresentou esta segunda-feira o Eco-Truck, o primeiro camião eléctrico que será usado diariamente na operação do Porto de Leixões e que é mais um passo no sentido da descarbonização da sua actividade.

O projecto do Eco-Truck enquadra-se no âmbito do Roadmap para a Descarbonização e Transição Energética com vista à neutralidade carbónica até 2035, dando sequência ao Plano Operacional de Sustentabilidade da APDL, que alicerça um conjunto de medidas com o objetivo da redução da pegada ambiental da actividade portuária.

APDL INVESTE NO FORNECIMENTO ELÉCTRICO AOS NAVIOS NO CAIS DA RÉGUA

A APDL vai promover a eletrificação do cais da Régua, no seguimento do projeto piloto implementado anteriormente no Leverinho, de fornecimento do chamado OPS (Onshore Power Supply), de um dos mais movimentados cais da via navegável, investimento que ronda os 300 mil euros.
A execução deste projeto irá permitir que os navios permaneçam acostados no cais da Régua com os geradores desligados, eliminando, neste período, as emissões de gases poluentes e o respetivo ruido associado ao seu funcionamento.

APSS investe na melhoria da Eficiência Energética

A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA continua a investir em trabalhos de renovação e de melhoramento da eficiência energética dos sistemas de iluminação nos portos de Setúbal e de Sesimbra, cumprindo o estabelecido do PAO (Plano de atividades e Orçamento) de 2021 e em linha com o Projeto ECO-AP (Melhoria Energética na Administração Pública).

Grupo Sousa produz 57% de energia verde acima das suas necessidades de consumo

No decorrer de 2020, empresas do Grupo Sousa, na Madeira, atingiram 5,02 Gigawatt-hora de energia verde, livre de emissões, através da energia eólica produzida pela Windmad e do sistema fotovoltaico da Logislink em auto-consumo.

Segundo dados veiculados pelo grupo marítimo-portuário português, o consumo anual de energia do Grupo Sousa nas geografias onde opera, em Portugal Continental, nos Açores, na Madeira, em Cabo Verde e na Guiné-Bissau, cifrou-se em 3,20 Gigawatt-hora.

WEBINAR A 26 DE MAIO

Comunidades de energia renovável em debate

O webinar, intitulado 'Comunidades de energia renovável (CER): da visão à concretização', realiza-se no dia 26 de maio, às 10h00. Entre os oradores da sessão, organizada pela CME, estão José Reis Costa, Ceo do Grupo ProCME, Carlos Mineiro Aires, Bastonário da Ordem dos Engenheiros (OE), João Carreira Bernardo, Diretor Geral da DGEG, Ângelo Sarmento, Administrador da E-Redes, Luís Natal Marques, PCA da Emel, José Salema, PCA da Edia, António Camacho, vereador da Câmara de Olhão, Alexandre Cruz, diretor de serviços de energia da Tecneira e Tiago Martins, do Montepio.

O Secretário de Estado da Energia, João Galamba, fará o encerramento do webinar.

HIDROGÉNIO VERDE

Porto de Roterdão prevê carregamentos de Sines a partir de 2025, mas também tem planos para produzir

Portugal não está sozinho no objetivo de exportação para Roterdão. O porto holandês aponta que as importações deste gás poderão ter origem no sul da Europa, norte de África, Médio Oriente e já estuda a compra de hidrogénio australiano.

Segundo abastecimento de GNL no Porto de Viana do Castelo

A APDL assegurou domingo, dia 11 de abril, no porto de Viana do Castelo, o segundo abastecimento de gás natural liquefeito (GNL) a um navio do armador Baleària Eurolíneas Marítimas.

Trata-se do ferry "Martín i Soler", de 165 metros e com capacidade para transportar 1200 passageiros e cerca de 560 veículos, o qual se encontra desde inícios de novembro de 2020 nos estaleiros navais da West Sea, em Viana do Castelo, para reconversão e modernização.

Total: 180
1 [2] 3 4 5 6 7 8 9 10