Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

EXPERIÊNCIA CIENTÍFICA

Tsunami «invade» a costa

Um tsunami semelhante ao provocado pelo terramoto de 1755, com ondas que podem chegar aos nove metros de altura na ponta de Sagres foi simulado nos computadores em rede dos centros de alerta de 19 países do nordeste do Atlântico, incluindo Portugal.

Trata-se de um exercício chamado NEAMWave12 e o seu objetivo foi testar pela primeira vez em simultâneo as comunicações e a capacidade de resposta das autoridades de proteção civil ou de gestão de emergência a um evento extremo deste tipo, no âmbito da criação do Sistema de Mitigação e Aviso Prévio de Tsunamis para o Nordeste do Atlântico e Mediterrâneo, patrocinado pela UNESCO, que estará operacional em 2013.

As comunicações foram testadas entre os países candidatos à instalação do futuro centro regional de alerta - Portugal, Grécia, Turquia e França - tendo sido considerados quatro cenários de tsunami, um dos quais para o Atlântico Nordeste, que foi gerido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) recentemente criado, onde se integram as estruturas do Instituto de Meteorologia.

Este cenário procurou reproduzir o tsunami desencadeado pelo terramoto de 1755, com epicentro a 165 quilómetros a sudoeste do Cabo de S. Vicente, na zona das falhas da Ferradura e do Marquês de Pombal, a 35 quilómetros de profundidade, e com uma magnitude estimada de 8,7 na escala de Richter.

Veja como seria observado do espaço este acontecimento extremo.