Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

ANOS 20-30

A máquina símbolo de libertação e evasão

As máquinas das décadas de 20 e 30, para além da promessa de um novo mundo, veiculavam também sentimentos de outra índole. A velocidade vence os constrangimentos do espaço, do tempo e da gravidade. É o período dos grandes transatlânticos que com os dirigíveis permitiam ligar a Europa e a América em tempo recorde. O luxuoso paquete Normandie com um novo desenho do casco foi o mais lendário destes navios.

Pela primeira vez, tornam-se acessíveis os lugares mais secretos e exóticos. É o tempo das travessias nocturnas do Sahara por St. Exupéry ao serviço da mítica Aeropostale. Como testemunho do fascínio dessas viagens, a firma Guerlain produziu em 1933 o perfume Vol de Nuit. Por outro lado, as grandes viagens eram, nesta época ainda, privilégio de poucos. Assim, a máquina, para além de vencer distâncias e alturas, de mensageira de novos mundos, adquire o estatuto de veículo para o sonho, que a conotação com um certo elitismo vem reforçar, acentuando assim a sua atracção junto do grande público.

Streamlining e Art Déco

Esta simbiose, aparentemente paradoxal, entre requinte e industria, elitismo e vanguardismo que as máquinas dos anos 20 e 30 materializaram, transformou o Streamlining numa das variantes mais peculiares do estilo Art Déco, ele próprio, paradigma da arte do contraditório. Com efeito, este tendência, nascida com a Exposição Industrial de Artes Decorativas e Industriais Modernas de 1925 em Paris, caracterizou-se pela conciliação entre a modernidade das formas geométricas puras, ou fragmentadas e justapostas, inspiradas pelo Cubismo, pelo Futurismo e pelo Abstraccionismo, com uma tradição puramente ornamental mais conservadora.

Harmonizou, no mobiliário e na decoração, a utilização de materiais raros e requintados com a produção industrial. O novo estilo foi abraçado por uma juventude endinheirada numa atitude de rejeição de tudo o que pudesse recordar o passado, num desejo de evasão e de submersão num mundo de sonho e fantasia – que o cinema, tornado entretanto num espectáculo de massas, viria salientar. Art Déco e o Streamlining são assim os expoentes de um novo gosto que acabará por se popularizar no design de objectos tão diversos como candeeiros e talheres, posters publicitários ou edifícios, aparelhos de rádio, isqueiros e torradeiras.

fonte


O famoso actor de cinema Cary Grant a bordo do "Normandie"

 







Artigos relacionados:

  • A viagem inaugural do Normandie
  • Ocean Liner Society considerou-o «o transatlântico do século»
  • A Publicidade e as Artes Gráficas