Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

EM 2022

Marinha Portuguesa coordenou salvamento de 458 vidas no mar

A Marinha Portuguesa informa que os Centros de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa), de Ponta Delgada (MRCC Delgada) e o Sub-centro do Funchal (MRSC Funchal) concluíram o ano de 2022 registando o salvamento de 516 pessoas, em 458 acções de busca e salvamento marítimo, o que corresponde a uma taxa de eficácia de 98,9%.

​O MRCC Lisboa registou 291 incidentes, tendo sido salvas 332 pessoas. Na área relativa ao MRCC Delgada ocorreram 144 casos que se traduziram em 163 salvamentos. E na zona de acção do MRSC Funchal houve um total de 23 incidentes, na qual 21 pessoas foram salvas, refere a Marinha Portuguesa em nota de imprensa.

“Para o sucesso das acções e do dispositivo contribuem também diversas entidades e organismos através do empenhamento de meios, tais como da própria Marinha Portuguesa mas também da Autoridade Marítima Nacional, da Força Área Portuguesa e outros recursos e meios pertencentes à Estrutura Auxiliar do Sistema Nacional de Busca e Salvamento”, refere a mesma nota.

E realça ainda “a participação de navios mercantes, que várias vezes se desviam das suas rotas comerciais para prestar auxílio quando necessário e sempre que solicitado pelos centros de coordenação de busca e salvamento”.

FONTE