Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

EM ANO DE CENTENÁRIO

Porto do Funchal evoca os bomboteiros

"Gentes do Mar e do Porto" ou a evocação de gente que fez do Porto do Funchal o seu ganha-pão como os bomboteiros e os rapazes da mergulhança.
Este foi o tema da primeira conferência que teve lugar ao fim da tarde de quinta-feira, na Gare Marítima da Madeira, no âmbito das celebrações do centenário da criação da Junta Autónoma das Obras do Porto do Funchal, uma parceria entre o Centro de Estudos de História do Atlântico, CEHA e a Administração dos Portos da Madeira, APRAM.

As investigadoras do CEHA, Graça Alves e Cláudia Faria analisaram o que escreveram autores portugueses e estrangeiros que passaram no Funchal e trouxeram o testemunho de quem ainda hoje vive do bombote, como o Sr. Jana.

Ferreira de Castro escreveu: " O paquete já se encontrava cercado pelas canoas dos "bomboteiros". Umas, carregadas de artefatos de verga, cadeirões, mesas e cestos que os homens da Camacha e até mesmo, ali, no Funchal, entrançavam, dia e noite, em conquista de um pão sempre difícil. Outras luziam o esforço das mulheres indígenas: bordados que falavam de arte anónima e paciente, de vida precária transformada em subtis delicadezas. "

Recuperar e afirmar a memória histórica do Porto do Funchal, recordando os bomboteiros e outros que fizeram do "calhau" a sua morada e que são também parte da História da cidade do Funchal, é o objetivo do CEHA que até maio vai promover mensalmente conferências relacionadas com o Porto do Funchal.