Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

VIAJANDO PELA HISTÓRIA

Lisboa: metrópole da luz e das sombras

Depois da eclosão da Segunda Guerra Mundial, foi-se tornando cada vez mais difícil para os perseguidos deixarem a Alemanha nazi. Aproximadamente 100 mil pessoas conseguiram fugir para Portugal. Nos documentos históricos, há relatos constantes sobre como a tranquila Lisboa da época se foi transformando e sendo modificada através da presença dos imigrantes: pessoas estranhas, novos idiomas, cafés superlotados.

Lisboa sempre foi mais interessante para escritores que para historiadores. A atmosfera peculiar da cidade sempre inspirou os escritores. Acho que algo semelhante é o que fascinava também os refugiados: essa cidade cheia de luz, ensolarada, sempre clara. Era o oposto da Europa áspera e ocupada.

Por outro lado, era uma cidade muito pacífica, extremamente tranquila, onde não acontecia muita coisa. O grande contraste era a presença de uma onda multinacional de refugiados, e ainda os cafés, os centros de espionagem, os lugares suspeitos. Disso vinha todo o fascínio que a cidade exercia, um fascínio que se estendeu até o famoso O céu de Lisboa, filme de Wim Wenders de 1995.

Entrevista da Deutsche Welle a Xosé Manuel Nuñez Seixas, para ler aqui

Foto: Refugiados judeus embarcando no navio SS Mouzinho para ir para os Estados Unidos. Entre eles há um grupo de crianças judias recentemente resgatadas de um campo de internamento em França. Foto tirada em Lisboa, Portugal, ca. 10 de junho de 1941.