Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Descoberto navio do século XIX durante dragagens no porto da Horta

Um navio de madeira do século XIX, forrado em cobre, foi decoberto no fundo do mar durante as operações de dragagem no novo cais de passageiros do porto da Horta, nos Açores, revelou um invetsigador que acompanhou o achado.

José António Bettencourt, arqueólogo do Centro de História Além Mar, da Universidade Nova de Lisboa, disse à Lusa que os vestígios da embarcação, que era desconhecida até agora, foram encontrados, por acaso, em novembro do ano passado, no decorrer da empreitada de dragagem do novo terminal marítimo da cidade da Horta.

«Para já, não temos ainda muita informação», adiantou o investigador, acrescentando que a embarcação que descobriram, situada a apenas 7/8 metros de profundidade, está "muito bem preservada", e as suas características indicam tratar-se de um barco do século XIX.

Segundo adiantou o investigador, nos próximos meses serão realizadas ações de proteção do local onde foi encontrado o achado, através do seu "registo e mapeamento exaustivo", para evitar que a embarcação seja afetada por processos naturais, ou até pelo funcionamento do próprio porto.

Este não é, no entanto, o primeiro achado arqueológico descoberto durante as obras de construção do novo cais de passageiros do porto da Horta.

Durante a fase de construção do molhe acostável para navios e do terminal de passageiros, os mergulhadores contratados pelo empreiteiro da obra descobriram várias presas de marfim, canhões e vestígios de um antigo navio, que provavelmente transportava carga oriunda de África.

Os achados retirados do fundo do mar foram entregues ao Museu da Horta, que irá recuperá-los para os expor ao público, mas os investigadores calculam que o interior da baía da Horta possa esconder vários outros tesouros.

José António Bettencourt lembra que aquilo que os mergulhadores conseguiram estudar foi apenas "uma amostra" do que poderá existir no local.

"Nós concentramo-nos apenas na zona de incidência do projeto, e aquilo que está para fora do porto, tendo em consideração a amostra que nós temos, que é de um potencial e de uma riqueza muito significativa, deverá ser muito maior",afirmou.

A baía da Horta foi um dos principais pontos de ancoradouro para navios de passageiros e mercadorias que atravessavam o Atlântico, sobretudo a partir de finais do século XVIII.

O novo cais de passageiros do porto da Horta, uma obra que custou mais de 35 milhões de euros, foi inaugurado em julho de 2012 pelo ex-presidente do Governo Regional, Carlos César, mas estão ainda a decorrer trabalhos de dragagem no local, no sentido de aumentar a sua profundidade, que irá passar de -- 6,5 metros para -- 8,5 metros.

fonte