Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




JOSÉ MANUEL DOS SANTOS

O mar, de novo

No Inverno, o mar corre para nós e o seu tumulto, mesmo longínquo, alcança-nos os sentidos. No Verão, somos nós que caminhamos para o mar e para a sua claridade agitada e horizontal.

POR LUÍS SOUSA

Sistemas de Informação… Sim, mas são as pessoas que fazem a diferença

É normal que as notícias que envolvem tecnologias de informação e comunicação raramente não se refiram essencialmente a aspetos intrínsecos aos mesmos. Compreensivelmente, na medida em que normalmente constituem o resultado de investigação e investimento de elevada monta e apresentam a atratividade da evolução tecnológica.

POR JORGE SILVA PAULO

Segurança no mar

A Marinha precisa de fragatas e submarinos para impedir outros de se apropriarem ilicitamente dos recursos dos nossos espaços marítimos? Há quem diga que sim e argumente com a grande dimensão desses espaços, incluindo o provável aumento da plataforma continental.

POR LUÍS SOUSA

Um «oceano» de preocupações ou as óbvias preocupações com o Oceano?

Num período em que um foco de espiritualidade confrontou o Mundo com a possibilidade do seu términus, uma “vaga” de iniciativas marcadamente racionais, coagiram materialmente a proteção daquela que é a sua maior área, mais valiosas e por esse motivo mais explorada e disputada – O Oceano.

NICOLAU SANTOS:

Sines cumpre o sonho dos fundadores

Quarenta anos depois de ter nascido, o porto de Sines está a caminho de vir a cumprir o sonho dos seus fundadores. Nicolau Santos explica porquê.

POR LUÍS SOUSA

Portugal e a inevitável aposta no Setor Quinário do Mar

A estratificação das atividades económicas em três setores, do primário ao terciário, estabelecida pelo economista australiano Colin Cark na longínqua década de 1940, tem vindo a integrar recorrentemente as discussões sobre a convulsão financeira e económica que assola Portugal e grande parte do globo, ameaçando não deixar incólume as regiões ainda não afetadas de forma significativa.
 

CONDICIONANDO AS EXPORTAÇÕES

Produção cai em todas as fábricas nacionais de automóveis em Janeiro

No mês de Janeiro de 2013, foram produzidos 12.588 veículos automóveis, ou seja, um decréscimo de 20% face ao mês homólogo do ano anterior. Este valor da produção situa-se 7% abaixo da produção média em Janeiro dos últimos cinco anos (13.534).

CARLOS GOUVEIA LOPES | «CLUSTER DO MAR»

Porto de Setúbal – Exemplo de boa performance financeira e ambiental

A estratégia de desenvolvimento da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) assenta na gestão equilibrada dos recursos numa perspetiva de longo prazo, orientada por modelos que integram as dimensões económica, ambiental e social.

VIRIATO SOROMENHO MARQUES

As rotas do mar

Pode parecer paradoxal, mas a verdade é que nesta altura de fraqueza estratégica, Portugal dispõe em torno do mar de condições subjetivas, de recursos científicos e "capital humano", como desde há muito não se encontravam reunidos. O mar é não só uma oportunidade, que a nossa ZEE torna quase incomparável na UE, como também um fator de risco intensificado pelas alterações climáticas.

POR JOSÉ NEVES

Mapa das ligações portuárias

Quando o governo português refreia a sua intenção de avançar para um processo de requisição civil dos estivadores de Portugal porque os estivadores de outros países avisam que em retaliação boicotariam a descarga das embarcações vindas dos portos portugueses, é já um tal mapa que a luta dos estivadores delineia.

MANUEL JARMELA PALOS | «CLUSTER DO MAR»

Fronteiras marítimas - celeridade na vanguarda da segurança

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), ao assumir em pleno o controlo de todos os postos de fronteira marítima, iniciou um novo ciclo no âmbito do controlo da fronteira marítima portuguesa. Este facto permitiu fechar o círculo do controlo integrado da fronteira externa do Espaço Schengen, possibilitando ao SEF aplicar em pleno os princípios da Gestão Integrada de Fronteiras a que os Estados Schengen estão obrigados.

FERREIRA FERNANDES

Ontem lembrei que Lisboa devia vender-se como A Senhora das Naus

Ontem lembrei que Lisboa devia vender-se como A Senhora das Naus. Apelei para um museu, bem explicadinho, popular e universal, sobre os nossos Descobrimentos. Um leitor telefonou-me contente por eu "defender a nossa História." Eu não o conhecia, a voz soou-me a de um velho senhor que se emociona com Fernão Mendes Pinto. Quem quer que fosse, era um ingénuo que não sabe nada dos tempos atuais e ainda menos de mim.

SOFIA GALVÃO | «CLUSTER DO MAR»

Mar, território e soberania - desafios e sinergias de um tempo novo

O que o Mar Português poderá vir a ser na história do nosso futuro, ninguém sabe. Que o potencial existe, é indesmentível. Num país que é incomensuravelmente mais oceano do que terra, tal é uma evidência que não requer intuição especialmente arguta. Mas entre o poder ser e o ser vai toda uma imensa diferença. Vai um caminho de vontade e de capacidade. Teremos estofo para ele? Todas as certezas são prematuras.

NUNO SEVERIANO TEIXEIRA | REVISTA «CLUSTER DO MAR»

Mar, factor estratégico para Portugal

O Mar foi para Portugal condição de independência e factor de defesa nacional. Foi assim na fundação da nacionalidade, nas guerras da Independência e da Restauração. Mas, foi muito mais do que isso. Foi um vector constante das opções estratégicas nacionais, seja no plano geopolítico como no plano geoeconómico.

JOSÉ MANUEL FERNANDES:

Nem todos podem ser estivadores, mas muitos gostavam

O trabalho nos portos ainda é regulado por uma lei de 1993 — ou seja, com quase 20 anos — que, numa altura de ilusão de rápido crescimento económico, cristalizou regras que fazem com que os trabalhadores deste sector fiquem de fora do regime geral do Código do Trabalho. Por exemplo: de acordo com a legislação laboral, o limite anual das horas extraordinárias é de 250 por ano; nos portos, há trabalhadores que acumulam mais de 1500 horas extra por ano.

Os nós de acesso ao mar

Novo estudo aprofundado sobre a economia do mar revela o que todos sabem: há uma atrofia do sector em Portugal. Efetivamente, fazendo bem as contas, é quase incompreensível que a economia do mar se limite a gerar negócios que não ultrapassam os 2,5% do PIB. Uma antiga nação tão voltada para o mar volta-lhe agora as costas, embora se bata, com dados laboriosamente apurados pelos seus cientistas, pela extensão do seu espaço de soberania.

POR VÍTOR CALDEIRINHA

Concessões de Terminais Portuários na Europa - Proposta para um Guia de Boas Práticas

No início de 2012 foi publicado pela revista científica internacional Maritime Policy & Management, um artigo de Notteboom, Verhoeven e Fontanet, do ITMMA, que analisa os resultados do inquérito realizado pela ESPO e ITMMA sobre as concessões de terminais de serviço ao público na Europa. Excluem-se os terminais e portos totalmente privativos.
A maioria das concessões dos terminais tem como duração entre 21 a 40 anos e, na maioria dos casos, existe uma limitação máxima de concessão de 30 a 35 anos, ou estão sujeitas a aprovação governamental acima desse prazo.

POR MANUEL CASTELO-BRANCO

A estiva

O sindicato dos estivadores decretou mais 5 dias de greve, que afectará principalmente os portos de Lisboa e Setúbal, aqueles onde a CGTP é proporcionalmente mais forte. Desde 1993, era Eduardo Manuel Azevedo Soares então ministro do Mar, que não se assistia a uma reforma tão importante na actividade portuária, com consequências directas na competitividade das exportações e da economia em geral. O que parece estar em causa, é a redução de uma série de direitos insustentáveis de uma classe fechada e totalmente corporativa.

ADFERSIT MUITO SATISFEITA COM O SUCESSO DA INICIATIVA

Sessão sobre Regulação do Transporte Urbano e Metropolitano

A Sessão desta terça-feira sobre a Regulação do Transporte Urbano e Metropolitano foi um grande sucesso: "Uma das melhores sessões da ADFERSIT", segundo alguns participantes, pela profundidade e interesse do tema.
O que pretendemos com o ciclo de conferências que iniciámos, organizadas pelos lideres das nossas secções temáticas, sob a coordenação do Prof Mário Lopes, é abordar em grande profundidade os temas mais importantes do setor dos transportes, liderando a mudança que se impõe de forma muito informada e qualificada, considerando sempre os sistemas integrados.

EDITORIAL DO «DIÁRIO ECONÓMICO»

Greve dos portos, serviços mínimos e requisição civil

O Governo vai alterar o regime dos serviços mínimos dos portos, desadequados para as greves actualmente em curso nos portos de Lisboa, Setúbal e Figueira da Foz. É a resposta possível das autoridades à situação caótica de um sector tão irnportante para as exportações nacionais face à impossibilidade de decretar a requisição civil, que seria a atitude mais adequada à arrogância dos 230 estivadores em greve há mais de um mês.

Total: 142
1 [2] 3 4 5 6 7 8