Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

1500 memórias 100 anos no mar

Ao final da tarde de domingo, a bARCA da Memória partiu do cais da Ribeira rumo ao Porto do ano de 2112 com 1500 memórias a bordo. Conheça alguns dos fragmentos que o Porto 2012 deixou para o futuro.

A escolha ficava ao critério de cada um. Por isso, entre as memórias que daqui a um século farão as delícias dos portuenses, poder-se-ão encontrar muitos e variados objetos. Há os tradicionais postais, cachecóis, quadros, fotografias, poemas e dedicatórias, mas há, também, muitas e muitas coisas fora do comum.

Na categoria vintage, houve quem deixasse um telefone dos antigos, daqueles ainda com disco; uma máquina fotográfica ou um portátil Magalhães. Também foram depositadas árvores genealógicas e historiais de coletividades.

Todavia, foram os objetos carregados de sentimento que mais chamaram a atenção de quem recolheu as memórias. A chave da primeira casa depois de dois anos a dormir na rua, cartas de amor por alturas da guerra no ultramar ou a dedicatória em couro de um marido à mulher pelos 30 anos de casamento são alguns exemplos.

No posto de recolha da Estação da Trindade, pegou a moda de deixar passes mensais do Andante. É claro que também houve muita irreverência. Houve quem depositasse sacos de marijuana e parafernália a ela relativa: mortalhas "king size" ou "grinders". E houve várias outras memórias de registo: madeixas de cabelo, uma cópia do filme Anikibobó ou um sapato direito deixado por alguém que ficou sem esse pé.

Tudo somado, daqui a 100 anos, quando as cápsulas forem retiradas do mar, os portuenses terão cerca de 1500 objetos que lhes recordarão um pouco melhor o que era a sua cidade e as suas gentes em 2012.

Recorde-se que a bARCA da Memória marca o final da iniciativa Manobras no Porto que durante dois anos animou o Centro Histórico da cidade. Durante dez dias de setembro e outubro, foram mostrados ao público os resultados finais desta interação entre os artistas e a cidade e os seus moradores.

Entre algumas das manobras mais marcantes, contam-se os espetáculos concebidos, produzidos e levados à cena nas quatro "praças" escolhidas para acolher o projeto - Sé, Virtudes, Vitória e Miragaia - que contaram com a participação dos respetivos moradores.

fonte