Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

FIGUEIRA DA FOZ

Polícia Marítima intercepta arrastão em pesca ilegal e apreende 300 quilos de pescado

A Polícia Marítima da Figueira da Foz interceptou sexta-feira um arrastão, a cerca de 10 milhas náuticas a Oeste do Cabo Mondego, que utilizava um dispositivo ilegal para reduzir a malha da rede de pesca.

Em comunicado, a Polícia Marítima refere que durante a operação de fiscalização foram apreendidos cerca de 300 quilogramas de pescado, que agora será vendido em lota e cuja receita reverterá a favor do Estado.

“Após a equipa de fiscalização ter constatado que no interior do saco da rede de arrasto se encontrava colocado um dispositivo para reduzir a malhagem foi de imediato ordenado ao mestre da embarcação o regresso ao Porto de Pesca da Figueira da Foz”, refere o documento.

A Polícia Marítima salienta que a prática deste tipo de pesca, “além de dolosa, é altamente depredadora, contribuindo significativamente para a delapidação dos recursos piscícolas”.

Segundo o comunicado, o mestre da embarcação vai ser sujeito a um processo de contra-ordenação, incorrendo numa coima que poderá ir até ao montante máximo de 37.410 euros.

Durante o corrente ano, está é a terceira apreensão feita pelo Comando da Polícia Marítima da Figueira da Foz referente a este tipo de dispositivo ilegal.

fonte