Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

RUMO: GUINÉ-BISSAU

Corveta Baptista de Andrade na Madeira

A corveta Baptista de Andrade, da Força de Reacção Imediata (FRI) para um eventual resgate de portugueses da Guiné-Bissau fez esta terça-feira uma escala de duas horas no Porto do Caniçal, na Madeira, para reabastecimento logístico.

Terminado o reabastecimento, a corveta prosseguiu a sua missão junto da FRI que inclui ainda uma fragata e um avião P-3 Orion, uma missão que partiu ao início da tarde de domingo para a Guiné-Bissau, com o objetivo de apoiar as eventuais operações de retirada de cidadãos portugueses da Guiné-Bissau, o país que que foi alvo de um golpe de estado na passada quinta-feira.

O governo portugues decidiu, um dia depois do golpe de estado, aumentar o nível de prontidão da FRI, prevendo a necessidade de poder retirar compatriotas da Guiné-Bissau.

Na passada quinta-feira à noite, um grupo de militares guineenses atacou a residência do primeiro-ministro e candidato presidencial, Carlos Gomes Júnior, e ocupou vários pontos estratégicos da capital da Guiné-Bissau, uma ação justificada com o objetivo de defender as Forças Armadas de uma alegada agressão de militares angolanos que teria sido autorizada pelos chefes de Estado interino e do Governo.


VISITE OS RECURSOS DA APLOP (ASSOCIAÇÃO DOS PORTOS DE LÍNGUA PORTUGUESA), NA WEB