Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

PORTOS DE SETÚBAL E DE SINES INTEGRAM A LISTA

Sete empresas pagaram dividendos ao accionista Estado

O Estado já recebeu dividendos de sete empresas e organismos públicos, num total de 177 milhões de euros. A gestora aeroportuária ANA, em vias de privatização, foi a companhia que mais dinheiro entregou ao accionista - perto de dez milhões de euros. No entanto, foi uma entidade de supervisão (o Banco de Portugal) que elevou os números do semestre, ao entregar praticamente 159 milhões.

De acordo com os dados da DGTF, o bolo recebido pelo accionista Estado pela participação nestas entidades ainda está muito aquém da remuneração alcançada em 2010. No ano passado, os dividendos de 15 empresas e organismos chegaram a 458,4 milhões de euros. Ainda assim, menos 20 por cento do que no ano anterior, já que, em 2009, o valor atingiu 574,1 milhões.

De entre as empresas públicas, a ANA foi a que mais dinheiro pagou (9,8 milhões de euros), seguindo-se a Administração do Porto de Sines (4,1 milhões) e a Administração do Porto de Setúbal e Sesimbra (2,4 milhões). Em todos estes casos registou-se um aumento face ao valor entregue em 2010, uma vez que estas sociedades retribuíram um total de 10,1 milhões de euros no ano passado.

No primeiro semestre, foi, no entanto, um organismo de supervisão que mais dividendos retribuiu ao Estado. Os dados da DGTF mostram que, este ano, o Banco de Portugal já remunerou o accionista com 158,7 milhões de euros. Porém, neste caso, verificou-se uma redução de 22 por cento face a 2010 (ano em que a entidade liderada por Carlos Costa pagou 203,2 milhões).

Por outro lado, o esforço público no reembolso de indemnizações compensatórias e na entrega de dotações de capital apresenta uma tendência decrescente. As primeiras alcançaram 81 milhões entre Janeiro e Junho. Valor que, apesar de ainda não estar contabilizado o último semestre de 2011, compara com os 494,5 milhões do ano passado. Já as dotações fixaram-se em 87,6 milhões, quando ultrapassaram os mil milhões de euros em 2010.

FONTE: PÚBLICO