Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

MADEIRA

MacSimar: monitorizar para melhor intervir e prevenir

A Administração dos Portos da Madeira procedeu na última semana à operação de fundeamento de mais uma bóia de alerta de hidrocarbonetos a uma profundidade de 12 metros nos Socorridos, Funchal, e a uma bóia meteo-oceanográfica de 6m com 3000 Kg, no Caniçal, a uma profundidade de 12 metros.

Esta última bóia permite ler parâmetros meterológicos e oceanográficos como a temperatura da água e do ar, a velocidade e direcção do vento, a pressão atmosférica, a humidade relativa, a radiação solar, a direcção e intensidade da corrente, clorofila e detecta também a presença de hidrocarbonetos. Está equipada com GPS e bússola, o que permite saber facilmente em terra a sua posição, podendo ser encontrada rapidamente, caso se solte do sistema de amarração. Também tem luz e painéis solares.

A bóia de hidrocarbonetos detecta a presença de hidrocarbonetos em caso de derrames indevidos no mar, permitindo uma intervenção oportuna e por isso, mais eficaz.

O fundeamento destas bóias foram feitas no âmbito do programa MacSimar-Incorporação do Sistema Integrado de Monitorização Metereológica e Oceanográfica da Macaronésia na estratégia de investigação marinha/maritima europeia, co-financiado pelo programa MAC 2007-2013, Cooperação Transnacional Madeira-Açores-Canárias.

A operação foi acompanhada pelos técnicos Xavier Ramirez e Rayco Moran, técnicos da PLOCAN-Plataforma Oceanográfica de Canárias que colaboram com o ICCM-Instituto Canário de Ciências Marinhas, parceiro do projecto MacSimar.

Presentes estiveram também dois jovens engenheiros de telecomunicações canários que estão a estagiar na APRAM no âmbito do programa Summer School que visa o intercâmbio entre recém-licenciados.

Estes jovens estão a trabalhar na construção da base de dados que vai integrar toda a informação oceanográfica recolhida sobretudo pelas bóias, informação que vai ser disponibilizada na net em tempo útil, proporcionando uma melhor articulação com o sistema científico-empresarial, em campos específicos como a segurança, a gestão marítimo- -portuária, transportes, pescas, turismo, protecção dos recursos e zonas costeiras.

Cecilia Correia, técnica da APRAM que coordena o MacSimar na Madeira diz que no início de Setembro vai ser colocada uma bóia de hidrocarbonetos na Ilha de Porto Santo, enquanto a última será em Porto Moniz, ainda este ano.

O MacSimar insere-se nos objectivos da UE de criar uma Rede Europeia de Observação e Informação sobre o Mar, EMODNET e abrange geograficamente toda a área da Macaronésia, estendendo-se para além do espaço político- -administrativo das regiões participantes. Por isso, foram já estabelecidos intercâmbios de natureza cientifica e operacional com outras entidades, em particular com as de Cabo Verde e de outros arquipélagos atlânticos.

ANA GOUVEIA - APRAM

Foto de topo - Operação de fundeamento da boia meteo-oceanográfica de 6m com 3.000 Kg, no Caniçal. Foi fundeada a uma profundidade de 112 metros.

Foto de rodapé - Operação de fundeamento da boia de alerta de hidrocarbonetos nos socorridos. Foi fundeada a uma profundidade de 12 metros, a 24 de Agosto de 2011.