Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

AFIRMA O BIÓLOGO ÉLIO VICENTE

Tubarões avistados no Algarve são boa notícia para a costa portuguesa

O avistamento de dois tubarões no Algarve é boa notícia porque significa que a costa portuguesa está rica em peixe, diz ao PÚBLICO Élio Vicente, biólogo do Zoomarine do Algarve, reagindo à notícia do avistamento de dois animais numa praia em Vila do Bispo, que fez com que os banhistas fugissem da água.

Os tubarões, de espécie desconhecida, foram vistos na praia do Zavial, na costa Sul, em Vila do Bispo, pouco depois das 17h30.

Os animais foram primeiro confundidos por golfinhos, mas depois confirmou-se que eram tubarões. De acordo com a Lusa, os nadadores-salvadores da praia mandaram os banhistas sair da água, incluindo três pessoas que estavam a fazer caça submarina. O acontecimento gerou um certo pânico e ninguém voltou ao mar, mesmo depois de os animais se afastarem da praia e desaparecerem.

“Estes animais sempre estiveram nas nossas águas, normalmente as pessoas não vêem, mas eles estão lá”, disse Élio Vicente. “Representam tanto um risco quanto um cão desconhecido no quintal do vizinho”, explicou o biólogo, acrescentando que se deve usar a precaução e sair da área em função de cada situação, mas explicou que os nossos tubarões alimentam-se de peixes e não de mamíferos marinhos e por isso “não representam perigo”. E acrescentou que “mais rapidamente no Algarve uma pessoa será ferida por golfinhos do que por tubarões”.

Segundo o biólogo, há entre 400 e 500 espécies de tubarões no mundo e só sete é que estão associadas a acidentes com humanos. Na costa portuguesa existem algumas dezenas de espécies, a maior parte vive em profundidade e os indivíduos que se movimentam mais à superfície andam a navegar, estão a caçar peixes ou estão à procura de parceiro sexual.

O comandante da Zona Marítima do Sul, Marques Ferreira, explicou à Lusa que este avistamento está também associado a águas do mar mais quentes – 23 graus no Sotavento (Leste algarvio) e 18 graus no Barlavento. Nestas situações o comandante diz que é normal avistar estes animais. Para Élio Vicente, “dizer que há tubarões nas nossas águas é como dizer que há gaivotas na costa.”