Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE MATOSINHOS:

«Há muito que Matosinhos fez os trabalhos de casa em matéria de Economia do Mar»

Guilherme Pinto defende que “Matosinhos reúne todas as condições para ser o centro nevrálgico do Norte do País a nível económico”, contribuindo, desta forma, para que “Portugal deixe de estar na periferia da Europa e assuma um lugar de destaque”.

“Há muito que Matosinhos fez os trabalhos de casa em matéria de Economia do Mar”, afirmou o autarca, realçando a “parceria dinâmica” com a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL). Os acessos ao Porto de Leixões, a qualificação urbana, o ordenamento do território, as plataformas logísticas, o Terminal de cruzeiros ou o Pólo do Mar da Universidade do Porto são o fruto da “teimosia e criatividade” do Executivo a que preside.

Ainda no que respeita à Economia do Mar, Guilherme Pinto salientou a aposta no conceito “Mar à mesa”, o apoio aos desportos náuticos e a requalificação da orla costeira para justificar “o investimento que transformou a realidade de Matosinhos”. “Ao fim destes últimos seis anos, tudo está diferente”, frisou.

O Presidente da Câmara de Matosinhos lamentou, contudo, a “atitude terceiro-mundista do poder central” em relação ao “único porto de pesca lucrativo do país”. “A estrutura de segunda venda de pescado de Matosinhos é a última a receber a atenção do poder central. Não sei porquê. O meu único desgosto é não conseguir convencer o poder lisboeta de que a renovação do único porto de pesca que dá lucro é fundamental para a economia do País”, disse.

Guilherme Pinto falava na sessão de abertura da Conferência Internacional sobre “Valorização económica e sustentabilidade dos recursos marinhos”, promovida pela Associação Empresarial de Portugal (AEP) e pela Associação Oceano XX- Cluster do Conhecimento e Economia do Mar.

 

Ao longo de quatro dias, o Fórum do Mar reuniu em Matosinhos académicos, decisores institucionais, empresários, gestores e dirigentes associativos, portugueses e estrangeiros, em torno do debate sobre projectos de valorização económica e sustentável dos recursos marinhos.

Abrangendo e cruzando as diferentes áreas de conhecimento e de actividade, o Fórum do Mar pretende criar oportunidades de desenvolvimento e a geração de novos produtos e de novos processos em actividades da Economia do Mar.

 







Artigos relacionados:

  • Fórum do Mar regressa em 2012 com expositores estrangeiros