Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

A PREGAR PARA OS PEIXES

Projecto pioneiro em Portugal permite-nos «falar peixês»

Uma nova tecnologia, “FishTalk – Underwater Sound Generator”, que foi desenvolvida por uma equipa da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), permite reproduzir os sons emitidos pelos peixes debaixo de água, com elevada fidelidade independentemente da profundidade.

O FishTalk “é um projecto que visa conseguir reproduzir de forma fiel, dentro de água, sons de baixa frequência com transientes rápidos”, explicou o biólogo Paulo Fonseca, professor do departamento de Biologia Animal da FCUL e investigador do Centro de Biologia Ambiental (CBA). Com a reprodução dos sinais “podemos fazer experiências comportamentais para tentar perceber qual a função que estes têm no comportamento dos peixes”, disse Paulo Fonseca. Por exemplo, “podem ser usados num contexto de atracção sexual (o macho produz o sinal para atrair fêmeas ou para motivá-las a libertar ovos a curta distância) ou num contexto em que dois machos estão a disputar um território. Se conseguirmos promover um determinado comportamento fazendo a reprodução do sinal sem o peixe lá estar, é a forma mais elegante de conseguir demonstrar que esse sinal tem uma determinada função”.

De acordo com Paulo Fonseca, este estudo é fundamental uma vez que “os peixes emitem sons, mas é importante tentar perceber o que é que outros peixes podem ouvir dos sons que são emitidos”, ou seja “se as frequências que são geradas naqueles sinais são ouvidas por um outro animal da mesma espécie”.

Segundo explicaram os inventores do FishTalk, 21% dos estudos em animais são feitos em peixes, mas quando se fala em reprodução de som, só existem 0,3%. A razão prende-se com o facto dos sistemas actuais não responderem a este tipo de função. “Não existe nada no mercado que permita fazer isto, assim como há muito poucos trabalhos publicados com este tipo de metodologia na água, e nós conseguimos resolver esse problema”, afirmou o físico Jorge Alves, professor da Universidade de Lisboa.

Agora, “é preciso fazer estudos que permitam chegar à conclusão de que este sinal acústico é o que determinada espécie usa para fazer diversas coisas”. Ou seja, “é preciso fazer o dicionário do "peixês" espécie a espécie. Uma vez validado cientificamente esse dicionário, pode-se pensar em promover comportamentos”.

Este projecto FishTalk obteve o primeiro lugar no I2P® Portugal Competition, evento que decorreu nos passados dias 25 e 26 de Fevereiro no Hotel Porto Palácio, no Porto. O I2P® Competition é um concurso de planos de comercialização de tecnologias, organizado pelo programa Act da COTEC em parceria com o GAPI 2.0, onde se pretende que cada equipa crie uma ideia de produto a partir de uma tecnologia, fazendo a ponte entre a ciência e o mercado.
 
FONTE: NATURLINK

LEIA NOTÍCIA MAIS DETALHADA DA "EXAME INFORMÁTICA"