Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

FIGUEIRA DA FOZ

Câmara aprova regulamento de utilização do portinho da Gala

A Câmara da Figueira da Foz aprovou por unanimidade o regulamento de utilização das infraestruturas do Núcleo Piscatório/Portinho da Gala, no braço sul do Mondego, que serve cerca de 70 pescadores artesanais.

À obra, iniciada em 2006 pelo Instituto Portuário de Transportes Marítimos e concluída pela Administração do Porto da Figueira da Foz (APFF), foi associada a edificação de infraestruturas terrestres de apoio, cuja gestão foi cedida a título definitivo, em Janeiro último, à autarquia.

Dia 12, na reunião ordinária do executivo, o presidente da Câmara, João Ataíde, lembrou o processo de requalificação do Portinho da Gala, a que se seguiram reuniões com a junta de freguesia de São Pedro “porta-voz” dos 70 pescadores.

O autarca frisou que o regulamento e as taxas agora aprovadas, sustentadas por um estudo económico-financeiro, levam em conta a relação custo/beneficio dos serviços prestados – aluguer de armazéns de aprestos e lugares de amarração de embarcações, entre outros – mas foram baseadas, igualmente, numa “politica de apoio à comunidade piscatória” local.

O regulamento determina, entre outros pontos, um valor a pagar de 24,39 euros anuais, acrescidos de IVA, por cada lugar de amarração dos botes de pesca, montante que no caso de outras embarcações de navegação local cresce para os 48,78 euros ano+IVA.

Os interessados nos lugares de amarração deverão formalizar a sua candidatura à Câmara Municipal em prazo a fixar, sendo a atribuição de lugares “realizada mediante sorteio”, informa.

Já os 80 armazéns de aprestos disponíveis em cinco edifícios – aos quais se podem candidatar os titulares dos lugares de amarração – têm um custo anual associado de 71,9 euros+IVA cada.
 

FONTE: DIÁRIO "AS BEIRAS"