Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Brasil quer comprar mais produtos portugueses

Os brasileiros identificaram 205 artigos que Portugal produz e poderia passar a exportar para o Brasil.

Azeite, bacalhau e peras. Vá-se lá saber porquê, nestes últimos meses as peras suplantaram o vinho. Estes produtos constituem o grosso das exportações portuguesas para o Brasil. Chamam-lhes, e com razão, o 'mercado da saudade'.

Agora, para tentar mudar este estado de coisas e vir em socorro de um Portugal em situação desesperada, o Brasil lançou mãos à obra e elaborou uma lista com os 205 artigos com maior potencial de exportação de Portugal para o Brasil. Com base num estudo realizado em 2009 para a Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil, conclui-se que esses 205 artigos corresponderam a 20,7% das exportações de Portugal e a 16,1% das importações brasileiras (em 2006-07, os últimos dados disponíveis na altura em que o estudo foi feito). No entanto, o país só detinha 0,4% do mercado desses produtos no Brasil.

O estudo pretende fazer uma radiografia de cada produto e perceber porque não chegam ao Brasil. Questão de preço? Qualidade? Logística? Financiamento? Seguro de crédito? Do total dos 205 artigos, Portugal só figura entre os cinco primeiros fornecedores em relação a 15. E só é o segundo quanto ao bacalhau com 6,2% do mercado, contra os 85% da Noruega.

Primeiro a Ásia depois a União Europeia

De facto, depois da Ásia (China e Japão), são frequentemente os países da União Europeia (Alemanha e Itália) os maiores fornecedores desses produtos ao Brasil. Isto significa que não têm uma vantagem competitiva em relação a Portugal no que se refere à proximidade geográfica, preferências comerciais, taxas de juro ou de câmbio, conclui o trabalho.

Entre os artigos que os brasileiros identificam 'com potencial' estão os veículos e peças, máquinas e instrumentos mecânicos, produtos de plástico, máquinas e materiais elétricos, produtos alimentícios e de metais não-ferrosos, fios e fibras, artigos de vestuário, papel ou couros e peles (ver lista completa no final do texto)

Diz o estudo que se fosse possível duplicar a parte de mercado de Portugal nas importações brasileiras, as exportações cresceriam 340% (no caso, em relação à média de 2007-08, que serviu de base ao citado trabalho).

Para se atingir tal meta, o Brasil propõe-se sensibilizar os importadores brasileiros, "ajudando-os a identificar a oportunidade para importarem melhor", como dizia ao Expresso o embaixador brasileiro Mário Vilalva.

Clique aqui para aceder à tabela Excel com a lista dos produtos

Texto publicado no caderno de Economia do Expresso de 02/04/11