Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

PARA JUAN ROMERO

«Portos portugueses são estratégicos para a PLSWE»

A Plataforma Logística do Sudoeste Europeu (PLSWE), que vai nascer em Badajoz, integrada no eixo Lisboa-Madrid, foi alvo de apresentação pública em Lisboa, por intermédio do seu director, Juan Romero. Numa cerimónia que contou ainda com uma breve apresentação do Porto de Lisboa, por parte de Marcos Afonso, da APL, Juan Romero começou por destacar que, para esta nova infra-estrutura, "os portos portugueses são estratégicos e a conexão com estes é fundamental".

O director da PLSWE explicou, ainda, as razões que fundamentam este investimento na cidade de Badajoz, enaltecendo a "localização geoestratégica" do futuro local onde será construída a plataforma logística, "localizada no centro do triângulo Madrid-Lisboa-Sevilha e ainda ligada, por ferrovia, a Algeciras, Lisboa e Madrid". Essa mesma ferrovia será, de acordo com Juan Romero, uma das apostas fortes da PLSWE, antecipando o crescimento do fluxo de mercadorias por via ferroviária, "sobretudo devido às limitações de emissões de CO2", que criarão obstáculos ao transporte rodoviário.

Juan Romero mostrou-se ainda preocupado e empenhado em resolver os problemas que a PLSE irá encontrar, nomeadamente no que diz respeito à falta de estandardização do transporte ferroviário ou às limitações da ferrovia existente: "Estamos a desenvolver uma infra-estrutura e vamos encontrar imensos problemas. A linha ferroviária que vai ser competitiva ainda não existe. Falta-nos a estandardização de processos, falta resolver o problema das redes elétricas, além de outras coisas. Mas a nossa intenção é a de que tudo isso seja resolvido e que a PLSWE seja uma mais-valia para a região da Extremadura".

FONTE: CARGONEWS