Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Sócrates inicia ofensiva para incentivar exportações portuguesas

O chefe de Governo estará hoje em Frankfurt na maior feira do mundo de têxteis para o lar, a Hemtextil, que conta com uma participação de quase 60 empresas portuguesas.

O primeiro-ministro visitará os pavilhões portugueses para falar com os industriais no âmbito da campanha do Governo para dinamizar as exportações, consideradas fulcrais para a recuperação da economia nacional, revelou fonte oficial do seu gabinete.

 

A Heimtextil, que termina no sábado, contará este ano com mais de 2500 exportadores de cerca de 60 países, e deverá atrair mais de 70 mil profissionais do ramo.

 

A Alemanha é o terceiro maior cliente de têxteis portugueses, a seguir à Espanha e à França, sendo que em 2009, as exportações de têxteis portugueses para aquele país atingiram quase 381 milhões de euros, o que representa 9,3 por cento de todos os artigos exportados para a Alemanha, no valor total de cerca de 4 mil milhões de euros.

 

José Sócrates, depois de um interregno, segue para uma visita oficial ao Qatar e Emirados Árabes Unidos no sábado, sendo que, estará um dia no Qatar (domingo) e dois dias (segunda e terça-feira) em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos e também o maior de todos os Emirados com uma área de 67.340 quilómetros quadrados.

 

Na viagem do primeiro-ministro está incluída uma comitiva de 60 empresários de diversas áreas de actividade, desde o sector financeiro, passando pelas energias renováveis, imobiliário, construção civil e gestão hoteleira.

 

Fonte governamental afirmou que esta visita pretende reforçar a presença de empresas portuguesas naquela área do globo de forma a posicionarem-se para o "enorme investimento" que ambos países estão a programar para a próxima década e que culminará com a realização do campeonato do mundo de futebol no Qatar em 2022.

 

Para a visita oficial de três dias ao Qatar e Emirados Árabes Unidos, o primeiro-ministro far-se-á acompanhar por vários ministros, entre os quais Teixeira dos Santos (Finanças), Vieira da Silva (Economia), Luís Amado (Negócios Estrangeiros) e António Mendonça (Obras Públicas e Transportes), em que está previsto encontros bilaterais com os respectivos homólogos nos dois países.

 

Em Abu Dhabi, na segunda-feira, José Sócrates fará a abertura da Cimeira Mundial de Energia onde estará presente como orador ao lado de chefes de Estado e de Governo de outros países.

 

A Cimeira Mundial de Energia, que decorre entre 17 e 20 de Janeiro, vai juntar personalidades como o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, o presidente da Islândia, Ólafur Ragnar Grimsson, a princesa Victoria da Suécia, o Grão-Duque Guilherme do Luxemburgo ou o presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari.

 

Também em Abu Dhabi, o primeiro-ministro visitará Masdar, uma cidade construída de raiz com emissões de carbono zero e pensada para novas tecnologias a partir de energias renováveis, exactamente o mesmo tema do pavilhão de Portugal na Cimeira Mundial de Energia.


2011-01-12 09:28
Económico