Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Kerry louvou Portugal e opôs-se a mudança de rumo na acção climática devido à guerra

O Presidente da República declarou esta terça-feira que na reunião do Conselho de Estado o enviado presidencial norte-americano para o clima, John Kerry, louvou Portugal e opôs-se a uma mudança de rumo devido à pandemia ou à guerra.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas no Palácio da Cidadela de Cascais, no distrito de Lisboa, onde esta terça-feira se reuniu o Conselho de Estado com a participação de John Kerry como convidado, para analisar o combate às alterações climáticas e a transição energética.

O chefe de Estado considerou que esta “foi talvez uma das sessões mais interessantes” do seu órgão político de consulta e referiu que o enviado presidencial norte-americano para o clima “fez questão de responder a todas as perguntas, e que foram muitas, e respondeu em pormenor, com um tom otimista, mas ao mesmo tempo realista”.

Interrogado se nesta reunião se falou da atual conjuntura de guerra na Ucrânia, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu que John Kerry “aí foi muito claro” e defendeu que “não se pode recuar por causa da pandemia nem da guerra”.

“E explicou até que é um erro por causa da situação conjuntural criada pela guerra haver recuos e abrir a utilização do carvão, que isso são recuos depois de reparação muito difícil, é muito contra isso”, acrescentou.

mais detalhes