Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Investimento no Porto de Sines é essencial, diz Ministro do Ambiente

O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que a Europa deve “diversificar as suas fontes energéticas”, acrescentando que um investimento no Porto de Sines é essencial:

“Sines tem hoje capacidade para abastecer com Gás Natural Liquefeito (GNL) todo o mercado português, até é sobrante a capacidade que tem. Pode ser uma importantíssima porta de entrada para esse mesmo GNL”, disse o Ministro, após participar no seminário América Latina e União Europeia: dois parceiros estratégicos na cena mundial.

João Pedro Matos Fernandes referiu ainda que há investimentos que devem ser feitos para que tal aconteça, nomeadamente “investimento na armazenagem, investimento num novo ‘pipeline’, investimento em novas formas, mais eficientes, para descarregar esse gás dos navios”.

“Esse é um projeto essencial para toda a Europa”, afirmou, recordando “o corte de relações” entre Argélia e Marrocos, que inviabilizou o fornecimento de gás através de Espanha.

O Ministro do Ambiente disse ainda que há um risco “em cima da mesa” face à invasão da Ucrânia pela Rússia, responsável por mais de 40% das importações anuais de gás natural da UE:

“É essencial termos outras portas de entrada desse mesmo gás para a Europa e é essencial para Portugal que este ‘pipeline’ venha a ser feito, porque este ‘pipeline’ é já pensado para o hidrogénio verde, que Portugal vai poder produzir a condições muito mais competitivas que o norte da Europa”, afirmou.

mais detalhes