Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

«RASTRO»

Curta-metragem para um problema muito extenso...

Com Vicente Wallenstein como actor principal e com Bruno Ferreira e João Lourenço como realizadores, Rastro é a história de um jogador amador de futebol do Clube de Futebol de Setúbal, que concilia o desporto com a sua profissão de pescador em part-time, onde ajuda o pai.

É durante a sua actividade profissional e amadora que Hélder Bruno (Vicente Wallenstein) toma consciência de que o plástico é omnipresente no dia-a-dia. Hélder decide, assim, por iniciativa própria, ir apanhar lixo da praia da Mitrena, sozinho. Ao assistir a esta situação, o seu treinador faz com que toda a sua equipa se junte a Hélder neste combate contra a poluição.

A realidade é que o plástico já faz parte do nosso dia-a-dia. Por ano, são produzidos 360 milhões de toneladas de plástico descartável, sendo que 10 milhões de toneladas acabam por ir directamente para os oceanos. A importância do correcto encaminhamento destes plásticos ganha outro impacto quando verificamos que um saco de plástico leva 20 anos a decompor-se, uma palhinha demora 200 anos e uma garrafa de plástico 400 anos e alguns destes utensílios feitos de plástico nem conseguem ser absorvidos pelo meio ambiente.

artigo para ler na íntegra aqui