Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Porfírio Gomes sobre investimentos no Porto de Setúbal:

«Não vamos perder o comboio»

Em entrevista ao jornal ‘O Setubalense‘, Porfírio Gomes, Presidente da Comunidade Portuária de Setúbal, e da empresa Tersado, analisou os investimentos estruturais levados a cabo pela administração do porto sadino, as consequências positivas destas apostas para o futuro da infra-estrutura portuária e os novos desafios impostos pela competitividade dos tempos modernos, onde a digitalização desempenha papel crucial.

Porfírio GomesPara Porfírio Gomes, os investimentos recentes «podem ser separados em duas áreas distintas, os de cariz local, que são exclusivamente no Porto de Setúbal e inteiramente patrocinados pela Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS), e um outro mais de índole global. No caso dos investimentos de cariz local, estes passam pelas acessibilidades marítimas e o VTS (Vessel Traffic System)», introduziu o presidente da comunidade.

O projecto relativo às acessibilidades marítimas permitiu ganhar «mais dois metros de fundo no canal, que também foi alargado, portanto foi melhorada a segurança dos navios que neste momento já nos visitam e agora têm a possibilidade de entrar em qualquer maré, ou seja, já não precisam de esperar pela subida da mesma. Também era apenas possível manobrar um navio de cada vez, mas hoje o canal já permite que dois navios se cruzem», detalhou. Já o VTS, explicou também, «veio introduzir melhorias tecnológicas no auxílio à navegação dentro do sistema portuário».

continue a ler aqui