Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Regressaram à terra e voltaram a por os «Água Arriba» a navegar no Lima. Por amor à camisola

Nasce aqui ao lado, na Galiza, atravessa o Alto Minho e vai desaguar ao Atlântico. A água, que atravessa os seus mais de 100 quilómetros de extensão, entra em Portugal pelas portas da freguesia de Lindoso, contorna o Gerês, passa em Ponte da Barca e Ponte de Lima, terra com quem partilha o nome, e termina o percurso em Viana do Castelo. Em tempos, o Rio Lima estabelecia uma ligação importante entre as várias regiões por onde passava e chegaram a estar mais de 50 embarcações atracadas em Ponte de Lima, que faziam o transporte de mercadorias para Viana. Hoje em dia, o caudal do rio é invadido pelos novas práticas aquáticas, como o paddle ou a canoagem, mas ainda há quem faça por manter a arte de velejar viva.

Tem pouco menos de um ano e é essa a vocação deste modelo Água-Arriba, uma réplica fiel artesanal dos barcos que aqui circulavam no século XX e deixaram de ser vistos a partir dos anos 60.

continue a ler aqui