Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Porto de Viana do Castelo regista aumento de 6,7% nas exportações

No primeiro semestre de 2020, o Porto de Viana do Castelo movimentou um total de 192 mil toneladas de mercadoria, tendo as exportações registado um crescimento assinalável de 6,7%, face ao mesmo período do ano anterior. Este segmento representou cerca de 76% do movimento no porto minhoto.

Em alta estão, também, os granéis líquidos, que cresceram 4,5%, em comparação com o ano anterior. Isto significa que foram movimentadas mais 1100 toneladas deste tipo de mercadorias, durante os primeiros seis meses do ano.

À semelhança do registado nos restantes portos portugueses, a atividade portuária em Viana do Castelo foi afetada pela pandemia de Covid-19, tendo-se traduzido num decréscimo de 9,7% na movimentação de mercadorias, em comparação com o período homólogo do ano de 2019. Os resultados registados na carga geral fracionada (-13,9%) e nos granéis sólidos (-8,9%), são os principais responsáveis pela quebra nos resultados deste porto.