Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Praia Arenosa - Estuário do Sado

Os estuários são zonas de grande beleza natural, onde os rios se encontram com a água do mar. Fortemente condicionados pelas marés, são considerados como transição entre os habitats de água doce e os marinhos.

Os estuários funcionam como uma espécie de maternidade, ou seja, local de crescimento de juvenis de muitas espécies de peixes, como os robalos e douradas, que aí encontram as condições ideais de desenvolvimento no que respeita à alimentação e proteção.

Por outro lado, como o lodo ou a vasa não são tão permeáveis como a areia, a água, transportando o oxigénio e alimento, não circula facilmente, o que exige aos animais que vivem no substrato especiais adaptações para sobreviverem. No entanto, a variedade de animais continua a ser enorme, particularmente no que diz respeito a espécies que conseguem escavar galerias ou tocas onde passam a maior parte do tempo, abrigando-se das diferentes agressões do meio ambiente.

Viver no lodo ou na areia

O lodo ou a areia que constituem o substrato dos estuários não favorecem a fixação dos animais, obrigando aqueles que vivem sobre o fundo a desenvolverem especiais adaptações para sobreviverem. Algumas espécies escavam galerias ou tocas onde passam a maior parte do tempo, abrigando-se das diferentes agressões. Outras, como os linguados, aperfeiçoam técnicas de camuflagem, enterrando-se na areia, com a qual se confundem.

Cerianto - Vive num tubo, que pode atingir 1 metro de comprimento e se encontra enterrado na areia, construído a partir de muco solidificado, a que se agregam partículas do fundo (grãos de areia, pedaços de concha, algas, etc). O animal move-se livremente dentro deste tubo, onde se refugia sempre que se sente ameaçado.

Vieira - Para se esconder no fundo, a vieira aproveita o esguicho de água que deita pela parte de trás da concha para abrir uma cova no sedimento. Em seguida abriga-se, cobrindo-se de grãos de areia ou vasa, conseguindo, assim, passar despercebida aos olhos dos inimigos.

Cenoura do mar - A cenoura do mar é um animal colonial, tal como os corais, as gorgónias e os leques-do-mar. Vive em fundos de areia, desde o limite inferior da maré baixa até zonas mais profundas, sendo capaz de se desenterrar quando coberta de areia e de se fixar novamente ao substrato quando desalojada. É constituída por um pólipo central, grande e carnudo, em forma de caule, cuja base se enterra na areia.

GALERIA DE FOTOS AQUI