Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

25 dias de censos marinhos no navio Vizconde de Eza

Mais uma vez, técnicos da SPEA participaram na campanha de investigação do IPMA com a finalidade de fazer censos de aves marinhas. O percurso começou em Cádis e terminou em Caminha. As contagens foram realizadas de sol a sol em percursos previamente definidos. Durante cerca de 25 dias foram registadas inúmeras espécies e milhares de indivíduos que nos nossos mares habitam ou se encontram de passagem, alimentando-se e repousando.

As espécies de aves marinhas observadas foram: o airo, o alcaide, o alcatraz, a cagarra, o corvo-marinho-comum, o fura-bucho-do-Atlântico,a gaivota-de-cabeça-preta, a gaivota-de-patas-amarelas, a gaivota-de-asa-escura, a gaivota-de-audoinii, a gaivota pequena, a gaivota tridáctila, a galheta, o guincho, o garajau-de-bico-preto, o moleiro pequeno, a negrola, o painho, o papagaio-do-mar, a pardela-balear, a pardela-de-barrete, a pardela-preta e a torda-mergulheira. A ave avistada com maior frequência e abundância foi, sem dúvida, o alcatraz que nesta altura do ano se encontra a migrar para norte para nidificar. Também foram avistados centenas de golfinhos-comuns, dezenas de roazes e as surpresas de uma baleia-comum e, ainda, uma tartaruga boba.


Percorrer toda a costa permite-nos obter dados preciosos e completos. Com eles, podemos perceber que espécies estão em declínio e assim proceder a uma conservação dirigida. Para além disso, temos informação sobre as migrações e o comportamento das mesmas.

fonte