Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Empreitada de Protecção de ao terrapleno e cais do Porto das Lajes das Flores lançada por 19 milhões de euros

O procedimento para a empreitada de protecção de emergência ao terrapleno portuário e ao cais A -5 m (zh) do Porto das Lajes das Flores, na sequência dos prejuízos decorrentes da passagem do furacão Lorenzo, foi lançado dia 27, com convites a cinco empresas para apresentação de propostas.
Esta empreitada, lançada através da empresa ‘Portos dos Açores S.A.’, tem um preço base de 19 milhões de euros e um prazo de 18 meses para a sua conclusão.

A intervenção a realizar, que surge na sequência da conclusão dos diversos estudos e projectos de execução entretanto elaborados, contempla obras que se destinam a proteger o terrapleno portuário (parque de contentores, área de desconsolidação de cargas, estacionamento dos equipamentos portuários e outros) e, consequentemente, também a zona operacional do cais – 5 m (ZH), de modo a garantir as condições mínimas de segurança e operacionalidade para permitir o abastecimento à ilha por via marítima.

De acordo com o Governo dos Açores, o período de Inverno “reforça a urgência na execução desta protecção, acentuando-se a susceptibilidade de ocorrerem ainda mais danos no resto da infra-estrutura existente, potenciando também a perigosidade para pessoas e bens.”

fonte