Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Governo Regional garante «solução intermédia» para Porto das Flores até fim do ano

O Governo dos Açores garante que uma “solução intermédia” para resolver o problema no porto das Lajes das Flores, destruído pela passagem do furacão “Lorenzo” no início de outubro, avançará até final do ano.

“Estamos em condições de avançar com o plano de intervenção no porto das Lajes das Flores, após aprovação do Orçamento do Estado, mas, entretanto, a Portos dos Açores não desiste e já tem a previsão de apresentação de um projeto, de uma solução intermédia, até ao final deste ano”, declarou a secretária regional com a tutela das Obras Públicas, Ana Cunha.

A governante falava na Assembleia Legislativa Regional, na cidade da Horta, no segundo dia de discussão em torno do Plano e Orçamento dos Açores para 2020.

A “mãe natureza”, reconheceu Ana Cunha, “tem sido madrasta” com os portos nos Açores, mas no caso das Flores o executivo “já assumiu a necessidade de avançar rapidamente com a empreitada” que “permita retomar a operacionalidade do porto e melhorar o abastecimento às ilhas das Flores e do Corvo, de uma forma mais regular e com maior capacidade”.

Já na terça-feira, o presidente do executivo regional, Vasco Cordeiro, tinha garantido que, se as condições meteorológicas o permitirem, haverá em breve novidades sobre que navio poderá abastecer as Flores, sendo este agora o “objetivo prioritário”, quase dois meses após a passagem do furacão “Lorenzo”.

“O objetivo prioritário do Governo [Regional] é normalizar a situação de abastecimento às ilhas das Flores e do Corvo. Resolvida esta parte, é a partir daí que tudo se normaliza”, declarou o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro.

Cordeiro espera que esta semana fiquem concluídos trabalhos no porto das Lajes das Flores, destruído com a intempérie, para perceber que área acostável ficará disponível e, a partir daí, analisar que tipo de navio se vai contratar e que comprimento e carga poderá este ter.

“Será em função dos dados que resultem deste trabalho que é possível avaliar que navio é que pode operar ali”, acrescentou o governante, que diz que somente após edital do capitão do Porto da Horta se poderá avançar para a fase seguinte.

Durante a passagem do “Lorenzo” pelos Açores, em outubro, foram registadas 255 ocorrências e 53 pessoas tiveram de ser realojadas.

O furacão causou a destruição total do porto das Lajes das Flores, estimando-se que o prejuízo registado possa ascender, neste caso em concreto, a mais de 190 milhões de euros.

No total, o mau tempo provocou prejuízos de cerca de 330 milhões de euros no arquipélago, segundo o Governo Regional dos Açores, sendo que o Governo da República irá assumir 85% desse valor.

fonte