Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

COM AJUDA DA HOLANDA

Governo planeia construção de central gigante de hidrogénio verde em Sines

Governo planeia construção de central gigante de hidrogénio verde em Sines com ajuda da Holanda.

Trata-se de um projeto de 600 milhões de euros, feito com ajuda de fundos europeus, para criar energia suficiente para que uma frota de autocarros consiga fazer 800 milhões de quilómetros por ano.

Portugal e Holanda estarão a negociar um consórcio que terá como objetivo instalar uma unidade de produção de hidrogénio “verde” alimentado a energia solar. De acordo com a TSF, esta central, avaliada em 600 milhões de euros, ficará em Sines e terá capacidade de alimentar uma frota de autocarros e camiões que percorram 800 milhões de quilómetros por ano — ou seja daria para alimentar 27 vezes uma frota do tamanho da Carris, que faz cerca de 29 milhões de quilómetros anualmente.

Foi num debate da estação de rádio com a Associação Portuguesa de Promoção do hidrogénio (AP2H2) que João Galamba, o secretário de Estado da Energia, revelou a novidade. Segundo o mesmo, aquilo que nascerá em Sines é “um parque fotovoltaico com 1 Gigawatt em versão auto-consumo, que baixa ainda os custos de produção de eletricidade porque tem isenções de tarifas de acesso à rede. O estado tem terrenos públicos em Sines que só podem ser utilizados em projetos industriais, o que pode ser um fator importante para baixar os custos de produção do hidrogénio e depois atrair grandes empresas nacionais para este projeto, empresas da área do gás e da logística e transportes.”

“Nós podemos dizer ao mundo e à Europa e sobretudo aos países do norte da Europa que precisam muito de hidrogénio nós temos uma coisa que o centro e o norte da Europa não tem que é capacidade de produzir eletricidade aos custos que tornam o hidrogénio viável”, apontou ainda o Secretário de Estado.

O que é necessário fazer agora, portanto, é “montar um consórcio industrial de grande escala mostrando que Sines, que está tradicionalmente ligada a energias fósseis, pode migrar e até valorizar o Porto de Sines como entreposto exportador de hidrogénio Verde, o que é uma mais valia para o porto”. Este consórcio permitiria dar acesso a fundos para Projetos Comuns Importantes de Interesse Europeu (IPCEI, na sigla em inglês).

A unidade de Sines, com 1 Gigawatt no reator de eletrólise, se trabalhar 8 mil horas por ano e usar 1,5 metros cúbicos de água pode produzir 160 milhões de quilos de hidrogénio.