Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Ciência e conhecimento são fundamentais para a Estratégia Nacional do Mar

Decorreu esta sexta-feira a 5.ª sessão do ciclo de 'workshops' "Estratégia Científica para o Mar - II".

No evento realizado na Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL), em Matosinhos, distrito do Porto, a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, explicou que "não há economia do mar sem preservação do ambiente e proteção da biodiversidade" e que "precisamos de mais conhecimento sobre isso".

"Até agora, tínhamos políticas para a preservação do oceano e políticas para o desenvolvimento económico do oceano. O mundo não pode continuar assim. O que estamos a fazer já é juntar estas duas políticas. Portanto, na preparação da ENM, uma das políticas mais importantes é a ciência e a inovação", disse a ministra.

De acordo com Ana Paula Vitorino, o objetivo do 'workshop' é "debater o qual a estratégia de ciência e inovação para o mar".

"Isto não pode ser feito apenas no âmbito do ministério do Mar mas com uma parceria muito forte com o ministro da Ciência e todos os seus instrumentos de tutela", justificou.

Para Ana Paula Vitorino, "o ministro da ciência transporta para dentro da reflexão sobre o mar dimensões únicas de conhecimento mas também de criação do conhecimento e de como partilhar e democratizar o conhecimento".

Já Manuel Heitor vincou que "hoje, o conhecimento é o nosso desígnio":

"Portugal tem de fazer do mar a sua estratégia para criar mais empregos, melhores empregos e melhor qualidade de vida. Conjugando a nossa posição geográfica com as nossas dietas, atitudes e prazeres diários e, sobretudo, a nossa posição na Europa, é crítico que temos de refletir como desenvolver e aplicar novo conhecimento para uma estratégia para o mar que valorize e reforce a posição de Portugal no mundo", disse à Lusa Manuel Heitor, acrescentando:

"Queremos comer cada vez melhor peixe e isso exige muito conhecimento. Uma estratégia para os recursos vivos não se faz sem mais conhecimento e mais tecnologia. A qualidade do peixe é afetada pela qualidade dos oceanos e isso requer que se conheça melhor os oceanos e a sua qualidade".

Com Lusa