Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

MINISTRA DO MAR:

Integração de estivadores precários de Setúbal é motivo de orgulho

"Temos hoje uma situação no Porto de Setúbal diferente da que tínhamos em 29 de novembro [altura em que foi acionado o requerimento do PCP para audição da ministra]. É uma situação que nos orgulha enquanto responsáveis políticos", disse Ana Paula Vitorino, durante uma audição parlamentar na Comissão de Agricultura e Mar.

Em causa está um acordo assinado em dezembro de 2018 pelo Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL) e as empresas de trabalho portuário de Setúbal, que permitiu a integração de 56 dos cerca de 90 estivadores precários nos quadros das empresas Operestiva e Setulsete.

Na altura, o sindicato dos estivadores prometeu continuar a trabalhar para que sejam alcançadas "soluções equilibradas e duradouras em todos os portos nacionais", de modo a garantir "um tratamento digno para todos os estivadores e trabalhadores portuários do país".

A governante notou, na sua intervenção, que, durante décadas, "prevaleceu no Porto de Setúbal aquilo que era uma longa tradição no setor portuário" -- a contratação de trabalhadores eventuais -, que nos restantes portos teve uma "recuperação melhor" do que a verificada em Setúbal.

A ministra do Mar referiu que, atualmente, em Setúbal, a proporção entre trabalhadores efetivos e eventuais "é semelhante à que existe nos outros portos" nacionais.

"Quero que fique bem claro que não há cedências desastrosas do Governo, [no acordo], porque o Governo não negociou cláusulas. Patrões e sindicato negociaram cláusulas e houve cedências de parte a parte, como é natural. Fizeram o acordo que entenderam", vincou.

fonte