Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Governo dos Açores avança de imediato para a construção do Terminal de Passageiros em São Roque do Pico

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou hoje que o Governo dos Açores vai avançar de imediato com a construção do Terminal de Passageiros no Porto Comercial de São Roque do Pico.

Ana Cunha adiantou que “o projeto já está em desenvolvimento”, prevendo-se “lançar o procedimento necessário para a empreitada de construção ainda neste ano”.

A Secretária Regional, que falava no final de uma reunião com o Presidente da Câmara Municipal de São Roque do Pico e o Presidente do Conselho de Administração da Portos dos Açores, frisou que esta obra permitirá avançar “com a melhoria das condições existentes ao nível de acessibilidades, nomeadamente estacionamentos, com ordenamento da zona envolvente, melhorando as condições, à semelhança do que tem sido feito pela Região, para o transporte regular de passageiros”.

Ana Cunha anunciou ainda que o Governo decidiu também “avançar com o projeto de execução para o aumento do cais acostável e do molhe de proteção” daquela infraestrutura portuária, por forma a “permitir a operação em simultâneo dos navios de transporte regular de passageiros e de todos os que fazem a atividade comercial neste porto, ou seja, eliminando aquele que era um constrangimento e melhorando a operação, com boas condições de abrigo, com boa folga e permitindo essa operação em simultâneo”.

A estimativa inicial de investimento global é de 30 milhões de euros.

Paralelamente, Ana Cunha revelou também que “foram dadas instruções à Portos dos Açores” para que faça o estudo do ordenamento do cais, avaliando “todas as potencialidades deste porto”, como, por exemplo, “o estudo da possibilidade de desenvolvimento de um núcleo de recreio náutico”.

A Secretária Regional referiu que está a ser desenvolvido o projeto de execução, “para que depois se concretize a empreitada de aumento do cais acostável e de reforço do molhe de proteção”, sendo que “o aumento do molhe permitirá um cais acostável na ordem dos 300 metros”.

Para Ana Cunha, “a solução encontrada permite – e essa é a grande mais valia – a simultaneidade da operação de transporte regular de passageiros com a atividade comercial do porto, em boas condições de abrigo, com grande folga para a sua manobra e em segurança e, portanto, esta solução é também, desse ponto de vista, a mais adequada, tecnicamente”.

A Secretária Regional salientou que, após os diversos estudos desenvolvidos, devido à enorme complexidade de uma obra desta natureza, chegou-se à conclusão que a opção de implementação destas infraestruturas na baía do atual porto comercial seria a mais acertada, já que a segunda opção, que apontava para a sua construção na baía de São Roque, “implicaria replicar tudo o que são as infraestruturas existentes numa zona relativamente perto, é verdade, mas implicaria novas acessibilidades, em termos de estradas, novas infraestruturas, ou seja, teríamos de replicar toda uma operação portuária que já existe aqui”.

fonte