Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística

Notícias

APAT

Transitários apelam a solução urgente para os portos de Lisboa e de Setúbal

A APAT - Associação de Transitários de Portugal apelou esta quarta-feira a "uma solução urgente" para as paralisações nos portos de Setúbal e Lisboa, realçando que há carga a avolumar-se, o que implica o pagamento de taxas de congestionamento.

"A instrumentalização dos estivadores e do direito à greve não é ética, nem tão pouco uma atitude responsável. A greve não deve ser usada para a consecução de objetivos e agendas pessoais e políticas, em detrimento de uma economia já de si frágil e que dificilmente suporta este desrespeito de alguns pelos outros", refere o presidente da APAT, António Nabo Martins (na foto), citado em comunicado.

Segundo a associação, na sequência das greves, que no Porto de Setúbal dura há um mês, "há contentores que aguardam pelo transporte marítimo e nas autoestradas portuguesas há igualmente carga em espera para viajar para Lisboa e outros portos".

"Quem tem responsabilidade nesta matéria não pode ficar passivo e assistir à deterioração da atividade portuária em Lisboa e Setúbal, porque se entende manter uma greve e uma recusa à prestação do trabalho, sem qualquer fundamento", acrescenta o responsável da APAT, associação que tem 259 associados que têm um volume de negócios anual de dois mil milhões de euros.

O comunicado da APAT evidencia a preocupação com a situação nos portos de Lisboa e Setúbal e apela ao "diálogo, equilíbrio e busca de soluções", ao mesmo tempo que alerta para as consequências da paralisação prolongada dos estivadores.

"Estas paragens prejudicam os operadores portuários bem como os portos, uma vez que começam a ser cobradas taxas de congestionamento, resultantes destas paragens", acrescenta a associação, que não faz qualquer referência aos motivos que, na perspetiva dos trabalhadores, justificam a greve aos trabalho extraordinário e a paralisação dos estivadores contratados à jorna no Porto de Setúbal.

fonte