Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

CONHEÇA A RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE MINISTROS

Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 24/2017 criou uma estrutura temporária de projecto designada por Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação comandada pelo navegador português Fernão de Magalhães (2019-2022). O objectivo consiste em organizar as comemorações dos 500 anos da primeira volta ao mundo, em articulação com as instituições de ensino superior e instituições científicas, autarquias locais e demais entidades públicas e privadas.

A expansão marítima portuguesa contribuiu de modo significativo para o conhecimento do mundo e para a aproximação entre povos e culturas, em domínios como o comércio, a técnica e a ciência, a alimentação, a saúde e a religião.

A interpretação, o estudo e a valorização deste processo numa escala global é determinante para a compreensão da contemporaneidade e da identidade nacional, num quadro de cooperação e globalização crescentes.

As mudanças, as inovações e os desenvolvimentos que caracterizaram esse período evidenciam-se particularmente na viagem de circum-navegação comandada por Fernão de Magalhães, a partir de 1519. Esta constituiu a primeira viagem completa em torno do globo, demonstrando, através da existência de um estreito de circulação entre o Atlântico e o Pacífico, a intercomunicabilidade dos oceanos. A herança cultural desta viagem e a sua relevância no plano patrimonial mantêm-se até aos dias de hoje, a nível global.

A universalidade deste marco histórico continua a renovar-se atualmente: Fernão de Magalhães, que em tempos deu nome a diversos locais à volta do globo, dá hoje nome a duas galáxias próximas da via láctea e à sonda espacial enviada para a órbita do planeta Vénus, comemorando-se também em 2019 os 50 anos da primeira viagem do Homem à lua.

Para valorizar o caráter inovador da circum-navegação, foi lançada em 2013 a Rede Mundial das Cidades Magalhânicas. Esta constitui uma estrutura de cooperação e de intercâmbio cultural, científico e socioeconómico entre cidades de diversos países, nomeadamente de Portugal, Espanha, Cabo Verde, Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Filipinas, Indonésia, Brunei, África do Sul e Itália, que partilham uma ligação em torno da viagem encetada por Fernão de Magalhães. Esta colaboração tem tido consequências concretas, como a realização de encontros anuais que ocorreram, alternadamente, nas cidades que fazem parte da Rede, a atribuição anual do Prémio Magalhães e a promoção da criação de uma rede de universidades das cidades magalhânicas.

Entre os objetivos específicos da Rede incluem-se o da preparação de candidatura da Rota de Magalhães ao reconhecimento como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO e a preparação das comemorações dos 500 anos da primeira viagem de circum-navegação, que se iniciam em 2019, e que incluem uma inventariação do património cultural existente na série de localizações associadas à Rota de Magalhães e a organização de uma exposição internacional sob o tema «Os locais e culturas da Viagem de Magalhães».

Noutras dimensões, o valor da associação a Fernão de Magalhães assume também relevantes contornos de natureza turística, nomeadamente através do projeto «O Douro à Volta do Mundo - Magellan World», promovido pela Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR).

Pela importância cultural, científica e económica que manifestamente revestem, as comemorações desta efeméride, que tantos marcos deixou ao longo dos séculos, devem ser apoiadas pelo Governo, criando condições para a celebração condigna, nas suas diferentes vertentes: no âmbito da ação externa e o desenvolvimento regional, com o envolvimento intenso das autarquias locais, nas suas vertentes cultural e científica, sem descurar o relevante impacto económico que uma iniciativa pode ter.

Considerando o cruzamento destas várias áreas e dos diferentes níveis da atuação dos poderes públicos, central e local, com o envolvimento de atores do setor privado, bem como a envergadura das iniciativas a promover neste âmbito, não se afigura como suficiente a mera articulação entre os serviços das diversas áreas. Pretende-se, deste modo, dar uma dimensão globalizante e de impacto internacional no âmbito da comunicação a diáspora portuguesa e da imagem de Portugal no mundo, o que requer a autonomia e independência do modelo organizativo, enquanto garantia do sucesso do programa.

Assim, julga-se necessária a criação de uma estrutura de missão, com um apoio administrativo e logístico centralizado, presidida por uma personalidade com o reconhecido mérito e a experiência necessária para a articulação entre os diversos setores e entidades com intervenção na organização das comemorações.

Assim:

Nos termos do artigo 28.º da Lei n.º 4/2004, de 15 de janeiro, e das alíneas d) e g) do artigo 199.º da Constituição, o Conselho de Ministros resolve:

1 - Criar uma estrutura temporária de projeto designada por Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação comandada pelo navegador português Fernão de Magalhães (2019-2022) («Estrutura de Missão»), com o desígnio de organizar as comemorações dos 500 anos da primeira volta ao mundo, em articulação com as instituições de ensino superior e instituições científicas, autarquias locais e demais entidades públicas e privadas.

2 - Determinar que a Estrutura de Missão fica na dependência do membro do Governo responsável pela área do mar.

3 - Determinar, ainda, que a Estrutura de Missão é dirigida por um presidente, com funções de direção da Estrutura de Missão e estatuto equiparado ao de dirigente superior de 1.º grau para efeitos remuneratórios.

4 - Estabelecer que a Estrutura de Missão integra uma equipa de 10 elementos, com funções de elaboração de um programa de comemorações, a aprovar pelo Governo, e de acompanhamento e monitorização da implementação das comemorações junto dos serviços das respetivas áreas, designados por cada um dos seguintes membros do Governo:

a) O Ministro dos Negócios Estrangeiros;

b) A Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa;

c) O Ministro da Defesa Nacional;

d) O Ministro Adjunto;

e) O Ministro da Cultura;

f) O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior;

g) O Ministro da Educação;

h) O Ministro do Planeamento e das Infraestruturas;

i) O Ministro da Economia;

j) A Ministra do Mar.

5 - Determinar que podem participar nas reuniões da Estrutura de Missão representantes de outras entidades, públicas ou privadas, nacionais ou estrangeiras, incluindo representantes da comunidade académica e científica associados às diversas áreas científicas convocadas pela viagem de circum-navegação, nomeadamente nos domínios da história da expansão e dos descobrimentos, da história da ciência, da geografia, das ciências naturais, da cartografia e da navegação que o presidente considere relevantes, em função dos temas a discutir em cada reunião.

6 - Definir que a remuneração do presidente é suportada pelo orçamento da área governativa do mar e que o apoio administrativo e logístico e outras despesas de funcionamento da Estrutura de Missão são asseguradas pelo Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral.

7 - Definir que os membros da equipa da Estrutura de Missão não auferem qualquer remuneração ou abono pelo exercício das funções, tendo o direito a serem reembolsados das despesas de transporte necessárias para assegurar a sua presença nas reuniões, nos termos gerais, a suportar pelos organismos que representam.

8 - Determinar que, até 31 de agosto de 2017, o presidente da Estrutura de Missão apresenta ao Governo uma proposta de programa das comemorações, acompanhada do respetivo orçamento, para aprovação em Conselho de Ministros.

9 - Determinar, ainda, que a Estrutura de Missão apresenta um relatório sobre os trabalhos desenvolvidos a 31 de março de 2017 e um relatório final no término do seu mandato, a 31 de dezembro de 2019.

10 - Nomear como presidente da Estrutura de Missão José Manuel de Carvalho Marques, cuja nota curricular, que consta do anexo à presente resolução e da qual faz parte integrante, é expressiva do conhecimento e da experiência na coordenação de processos complexos, multiorganizacionais e setoriais, relativamente à temática magalhânica.

11 - Determinar que a presente resolução produz efeitos a partir da data da sua publicação.

Presidência do Conselho de Ministros, 19 de janeiro de 2017. - Pelo Primeiro-Ministro, Augusto Ernesto Santos Silva, Ministro dos Negócios Estrangeiros.

ANEXO

(a que se refere o n.º 10)

Resumo do curriculum vitae de José Manuel de Carvalho Marques

Data de nascimento: 29 de novembro de 1958.

Funções atuais: presidente da Câmara Municipal de Sabrosa (2005-2009/2009-2013/2013- até à atualidade); presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Vila Real; vice-presidente da Comunidade Intermunicipal do Douro; impulsionador da criação da Rede Mundial das Cidades de Magalhães e vice-presidente da Rede Mundial das Cidades de Magalhães; impulsionador da criação da Rede de Universidades de Magalhães e responsável pela inscrição do bem «Route of Magellan. First around the world» na lista indicativa (de Portugal) UNESCO; vice-presidente da Associação de Desenvolvimento da Rede de Aldeias Vinhateiras do Douro; vogal do conselho diretivo da Associação de Municípios do Vale do Douro Norte; membro fundador do Centro de Estudos e Investigação de Segurança e Defesa de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Funções desempenhadas: presidente da Associação Douro Histórico (ADL), gestora dos programas comunitários (Leader); presidente do conselho diretivo da Associação de Municípios do Vale do Douro Norte; presidente da mesa da Assembleia Intermunicipal da Associação de Municípios do Vale do Douro Norte; docente do Instituto Politécnico do Porto/Escola Superior de Educação; coordenador de vários projetos comunitários no âmbito do eixo Now, Leonardo Da Vinci, PACTE, PRODEP; vice-presidente da Associação Ibérica de Municípios Ribeirinhos do Douro; presidente do Núcleo de Sabrosa da Cruz Vermelha Portuguesa; monitor dos Cursos de «Formação de Agentes de Desenvolvimento Local», «Balanço Pessoal e Profissional»; corresponsável pela conceção e implementação do Projeto de Desenvolvimento Cultural e Educativo da comunidade de Garganta.

Habilitações académicas: Curso de Estudos Superiores Especializados de Animação Comunitária e Educação de Adultos, Instituto Politécnico do Porto/Escola Superior de Educação, no ano letivo de 1992-1993, com a média final de 16 valores; componente curricular do curso de mestrado «Instrumentos e Técnicas de Apoio ao Desenvolvimento em Meio Rural» da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro em outubro de 1997, com a média de 15,47 valores; estágio de investigação na Universidade de Ilinóis (USA) no departamento «Human and Community Development», com o apoio da FLAD (1998).

Formação e atividades complementares: auditor do Curso de Defesa Nacional; estágio no âmbito da educação de adultos, animação sociocultural e inserção social e profissional, Hjorring (Dinamarca), Getaria (Espanha) e Bruxelas (Bélgica).
 












Artigos relacionados:

  • Fernão de Magalhães numa cratera marciana desde 1976
  • Onde nasceu Fernão de Magalhães? Ponte da Barca!
  • Viagem de circum-navegação de Magalhães inspira novo CD de Luísa Amaro
  • Rota de Magalhães candidata a Património Cultural da Humanidade
  • Celebrações dos 500 anos da circum-navegação de Fernão de Magalhães
  • Portugal e Espanha juntos numa exposição sobre Fernão Magalhães que vai correr mundo
  • Desejava Fernão Magalhães circum-navegar o Globo?
  • Palestra «Para além do Fim do Mundo» relembra feito de Fernão de Magalhães há 500 anos