Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística

Notícias

3 A 7 DE OUTUBRO

Portugal recebe circuito mundial dos «ferraris da vela»

Entre as 12 tripulações em prova estão dois conjuntos de velejadores portugueses, convidados pela organização para esta etapa do circuito mundial. A prova decorre junto ao Tejo entre 3 e 7 de outubro.

Portugal recebe pela primeira vez, em outubro, uma prova do circuito mundial de Match Racing. A competição decorre no rio Tejo, junto ao terminal de cruzeiros de Santa Apolónia, e reúne alguns dos melhores atletas do ranking internacional.

As corridas desta prova decorrem sempre junto à margem do rio e são disputadas por duas embarcações, num despique de curvas apertadas. "Nesta disciplina cada barco luta, lado a lado, contra outro", explica Bernardo Freitas, velejador olímpico português e embaixador do evento.

Luta literalmente, isto porque "os barcos aproximam-se muito uns dos outros, é comum chegarem mesmo a tocar-se. Podem chegar a estar a cinco centímetros de distância, e por vezes, acontecem acidentes". Tudo isto sempre em alta velocidade, como uma "fórmula 1 das ondas".

O percurso é delimitado por boias. Assim se desenham as curvas no mar, ou, neste caso, no rio. As regatas são curtas, duram entre dez a 15 minutos, e permitem assim à assistência ver várias corridas num curto espaço de tempo. As embarcações nunca se afastam do público durante as provas. A distância máxima ao largo são 500 metros na prova de Lisboa. "Quem estiver a assistir vai poder, em vários momentos, ouvir os velejadores gritar", explica Bernardo Freitas. É a emoção vivida dentro da embarcação, ali mesmo ao lado dos espetadores.

Levar a vela aos espectadores

"Queremos quebrar o conceito da vela como um desporto elitista", reforça Francisco Mello e Castro. "Levar a emoção das provas, habitualmente longe da costa, para próximo dos espetadores, aproveitando as características do match racing, com provas curtas na distância e na duração", tudo isto com velocidade, lembra.

Também as condições da pista, neste caso do Tejo, ajudam ao espetáculo. "O rio é muito fundo nesta zona. Teremos águas agitadas, o que complica um pouco a vida aos velejadores. A isso à que juntar o vento que aqui se faz sentir. São condições que nos garantem uma boa corrida", explica o responsável pelo circuito mundial de match racing, Mattias Dahlström.

O local garante também a presença de público, mesmo aquele que não conta ver apenas a provas, mas antes fazer um passeio ou uma visita pela cidade, e passar pela beira-rio. "Em Lisboa encontramos um local ideal: o rio está junto à baixa da cidade, muito próximo do centro", sublinha o sueco.

Uma oportunidade também para os atletas

O velejador Bernardo Freitas competiu nos últimos meses na Volvo Ocean Race, prova que reúne os melhores velejadores numa volta ao mundo em vela, a prova mais prestigiada da modalidade.

Agora, regressa às competições em Portugal, numa disciplina na qual vai liderar pela primeira vez uma tripulação. Deseja agora que o match racing ganhe uma nova vida em Portugal depois desta etapa e tem esperança que depois do evento surja mesmo uma equipa nacional a competir no circuito internacional.

A etapa portuguesa do circuito mundial de Match Racing está incluída num festival que decorre entre 3 e 10 de outubro, no terminal de cruzeiros de Lisboa, o Regata Portugal. Para além da competição desportiva o evento reúne ainda outras atividades que vão da gastronomia à música e arte.

fonte