Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

INÍCIO ESTA SEGUNDA-FEIRA

Maior exercício naval em Portugal envolve mais de 2 mil militares

A Marinha realiza, de 18 a 28 de junho, o exercício naval SWORDFISH 18, na costa Ocidental Portuguesa, que tem como objetivo principal preparar a esquadra para dar resposta em cenários de crise.

Participam neste exercício um total de nove navios nacionais, dois navios espanhóis, um navio francês, um navio italiano, um navio inglês, Forças de Mergulhadores e Fuzileiros Nacionais e Espanholas, e ainda aeronaves da Força Aérea Portuguesa e Espanhola, englobando um total de 2300 militares.

O SWORDFISH 18 é um exercício naval, realizado nas áreas de exercícios da Costa Ocidental Portuguesa, concebido para melhorar a proficiência da esquadra na condução de operações navais, designadamente o Comando e Estado-Maior da Força Naval Portuguesa que, juntamente com as outras forças e unidades aliadas, interagem perante um cenário multidimensional, no âmbito das operações de resposta à crise.

Este exercício contribuirá de forma significativa na preparação das unidades envolvidas, com o objetivo de proporcionar às forças navais e aéreas a manutenção dos seus elevados padrões de prontidão e interoperabilidade, bem como a coesão de todas as forças e comandos envolvidos. ​