Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Museu de Portimão é parceiro da Campanha de Arqueologia Subaquática que volta ao rio Arade

Até 30 de junho de 2018 volta a decorrer a campanha de arqueologia subaquática integrada no projeto de investigação “Um complexo portuário milenar no Barlavento Algarvio: a arqueologia do estuário do rio Arade”.

A campanha realizada no estuário e embocadura do rio Arade é coordenada pelos arqueólogos Cristóvão Fonseca e José Bettencourt, promovida pelo Centro de Humanidades (CHAM) - unidade de investigação interuniversitária da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e conta, tal como nos anos anteriores, com a parceria do Município de Portimão, através do seu Museu onde funciona a base de apoio logístico.

Os sítios arqueológicos a intervencionar, denominados Arade B, Ponta do Altar B, GEO 5 e Arade 23, correspondem a contextos de naufrágio e fundeadouro e abrangem uma cronologia que vai desde o período romano até à época contemporânea. Este ano com uma campanha mais longa, para além de retomar os últimos trabalhos de campo realizados em 2016, serão feitas sondagens por escavação e o registo sistemático dos contextos, acções que não são realizadas há mais de uma década e que são cruciais para a obtenção de dados inéditos e de contexto.

Com estes trabalhos pretende-se não só dar continuidade à investigação já realizada, mas também potenciar um novo fôlego à investigação arqueológica do rio Arade, que tem como objectivo criar as bases para a valorização do seu potencial científico, pedagógico e turístico, considerando que se trata de uma referência no domínio da arqueologia náutica e subaquática no panorama nacional.

Ao nível do impacto socioeconómico destaca-se ainda a actualização do inventário georreferenciado de ocorrências patrimoniais do estuário do rio Arade, permitindo criar um corpus de referência de grande utilidade como ferramenta para a gestão e ordenamento do território, sobretudo numa fase em que se prevêem obras de requalificação portuária e das condições de navegação no estuário.

A foz do rio Arade corresponde a um espaço privilegiado de ligação entre o Mediterrâneo e o Atlântico, que apresentou desde sempre características propícias para a navegação. É um porto natural de abrigo, que serve os vários núcleos urbanos históricos, nomeadamente Portimão, assim como, corresponde a uma importante via de navegação, comunicação e penetração no interior do Barlavento Algarvio. Esta realidade encontra-se amplamente documentada pelas fontes escritas e por diversos vestígios arqueológicos identificados nas últimas décadas.

O reconhecimento do potencial arqueológico subaquático do estuário do rio Arade remonta, pelo menos, à década de 1970 e a investigação realizada desde 1993 tem vindo a contribuir de forma decisiva para a afirmação do seu valor científico e patrimonial. O espólio recuperado pode ser visto no Museu de Portimão.

O projeto conta não só com o apoio do Museu de Portimão e da Câmara Municipal, mas também com diversas entidades nacionais e regionais, entre elas a Junta de Freguesia de Portimão, o Grupo de Amigos do Museu de Portimão, o Clube Naval de Portimão, o Clube Subaquático de Mergulho Portisub, a Ondanautica Lda., a Capitania do Porto de Portimão, a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, a Administração dos Portos de Sines e do Algarve S. A., a Direcção-Geral do Património Cultural e o Centro Nacional de Arqueologia Náutica e Subaquática. Estes apoios revelam-se imprescindíveis para a realização da campanha.

fonte