Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Portos continuarão a crescer até 2025

Sem surpresa, um relatório da consultora Coherent Market Insights, sedeada na Índia, concluiu que até 2025 o mercado das infra-estruturas portuárias conhecerá um crescimento. E que na base desse crescimento está o aumento do comércio marítimo e grandes investimentos em infra-estruturas nas economias emergentes da Ásia-Pacífico e Médio Oriente.

O relatório, intitulado «Port Infrastructure Market – Global Industry Insights, Trends, Outlook, and Opportunity Analysis, 2016-2024», refere que a racionalização de processos e a necessidade de redução de custos no transporte marítimo de carga contentorizada ao longo dos últimos 50 anos induziram projectos de plataformas cada vez mais modernas e em larga escala para contentores.

O documento sublinha que grandes projectos para movimentação de combustível em Saldanha Bay (África do Sul) e novos terminais petrolíferos em Mombaça (Quénia) deverão ser sujeitos a forte procura com incidência na movimentação de petróleo, carvão e gás.

O mesmo relatório lembra, por exemplo, que de acordo com uma análise do Departamento de Energia dos Estados Unidos, o consumo de gás natural deve atingir 203 triliões de pés cúbicos em 2040, ou seja, mais 70% do que em 2012. Isto revela uma tendência para que a crescente procura de combustíveis, particularmente nas economias emergentes, como a China, a Índia, o México e a Indonésia, possa induzir um crescimento sólido de plataformas para a movimentação deste tipo de produtos ao longo deste período.

Igualmente mencionado é o factor estratégico. As principais economias no sul da Ásia, como a China, o Japão e a Índia, investem cada vez mais em infra-estruturas que lhes permitam aceder a recursos e mercados na zona do Oceano Índico. Por outro lado, terminais obsoletos e congestionados em países como o Paquistão, o Bangladesh, Myanmar e mesmo a Índia, estão a deslocar o comércio marítimo para infra-estruturas mais modernas da China e do Japão, aumentado a concorrência entre países com amplas linhas costeiras na Ásia-Pacífico que procuram afirmar a sua superioridade e gerando um ambiente favorável ao desenvolvimento de infra-estruturas portuárias globais.

fonte