Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

ÉPOCA BALNEAR ARRANCA A 1 DE MAIO

Portugal vai ter este ano 640 praias aprovadas para banhos, mais 99 face a 2017

Portugal vai ter este ano 640 praias aprovadas, incluindo as fluviais, para a prática balnear, mais 99 face a 2017, informa o director do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN), acrescentando que haverá mais 504 nadadores salvadores certificados.

Em conferência de imprensa, realizada na sede do ISN, em Caxias, concelho de Oeiras, José Gouveia disse que, durante a época balnear — que arranca legalmente a 1 de Maio e vai até 15 de Outubro —, no litoral do continente serão 387 as praias com qualidade para banhos, 129 no interior do país (praias fluviais), 70 e 54 nas ilhas dos Açores e da Madeira, respectivamente.
 

Em 2017 houve 470 praias vigiadas e 226 não vigiadas, mas para este ano o director do ISN explicou que, neste momento, ainda não é possível fazer uma estimativa, sublinhando que essa é uma responsabilidade das autarquias e dos concessionários das praias, a quem compete a contratação dos nadadores salvadores.

"O nosso papel é de entidade reguladora, de certificar as escolas, fazer os exames aos nadadores salvadores que as escolas nos apresentam para certificar. Não podemos fazer mais. Do ponto de vista da entidade reguladora [estamos] empenhadíssimos em que haja cada vez mais nadadores salvadores", afirmou o director do ISN.

continue a ler aqui