Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

APDL apresentou investimentos do Douro Inland Waterway 2020 e nova política tarifária

Teve lugar no dia 2 a primeira reunião do Conselho de Navegabilidade do Douro, na qual a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) apresentou os investimentos do Douro Inland Waterway 2020 assim como a nova política tarifária.

Na reunião, a APDL apresentou o investimento global na Via Navegável do Douro, orçado em 76,3 milhões de euros. Recorde-se que o arranque da 3ª Fase, no montante de 58 milhões de euros, está dependente de obtenção de financiamento.
Investimento na Via Navegável do Douro faz parte da Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária

Lembre-se que o investimento projectado para a Via Navegável do Douro faz parte da “Estratégia para o Aumento da Competitividade da Rede de Portos Comerciais do Continente – Horizonte 2026”, tendo uma série de objectivos específicos que a APDL recorda em comunicado: melhorar as condições de navegação para níveis standard europeus; assegurar as condições para o aumento do turismo de cruzeiros; potencializar o transporte fluvial de mercadorias; aperfeiçoar os níveis de segurança, em termos de comunicações, sinalização, correcção do canal navegável e reabilitação das eclusas; promover a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento regional.
Política tarifária assenta no princípio do utilizador-pagador

Outro assunto em destaque na reunião foi a apresentação da nova política tarifária para a Via Navegável. No comunicado enviado pela APDL às redacções é referido que «a nova política tarifária para a circulação na Via Navegável do Douro (…) assenta no princípio do utilizador-pagador e vai criar as Tarifas de Utilização da Via (TUV) e de Acostagem, cuja aplicação será gradual, ao longo dos próximos quatro anos, e vai permitir a obtenção de um equilíbrio económico da exploração fluvial».
Sobre o Conselho de Navegabilidade

O Conselho de Navegabilidade é um órgão consultivo da APDL que tem nas suas competências a apreciação de questões de interesse para a exploração da navegação no Douro, bem como a proposta de acções adequadas à exploração da via navegável e dos seus portos.

É composto pela APDL; CCDR-N; Agência Portuguesa do Ambiente; Direcção-Geral de Recursos Naturais; Segurança e Serviços Marítimos; Capitania do Porto do Douro; REN – Rede Eléctrica Nacional; EDP e representantes das regiões de turismo que englobem os municípios confinantes com a Via Navegável do Douro; dos municípios ribeirinhos; das associações comerciais ou industriais: dos concessionários dos portos fluviais; dos operadores de navegação comercial; das actividades marítimo-turísticas e das actividades de pesca.

fonte