Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Corredor Ferroviário do Sul arranca no primeiro trimestre

O Corredor Ferroviário do Sul arranca, no primeiro trimestre deste ano, com o lançamento do concurso para a construção do troço entre Évora e Elvas e o início da obra de Elvas até à fronteira do Caia.

São "dois momentos importantes", que vão ocorrer "ainda neste primeiro trimestre", e que "marcam o arranque da construção deste eixo ferroviário", defendeu esta sexta-feira o primeiro-ministro, António Costa.

Numa reunião em Évora com o Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), o chefe do Governo assinalou que o Corredor Ferroviário do Sul é "dos investimentos mais estruturantes do Portugal 2020".

O projeto "terá, ainda neste primeiro trimestre, dois momentos importantes", disse António Costa, referindo-se ao "arranque do concurso para a construção da linha ferroviária no troço Évora - Elvas" e ao início da "obra física entre Elvas e a fronteira" do Caia.

O Corredor Ferroviário do Sul "é absolutamente fundamental para podermos proceder a uma boa inserção" do conjunto da região do Alentejo na Europa, mas também para "valorizar devidamente essa extraordinária plataforma atlântica que a região dispõe que é o porto de Sines", referiu.

O primeiro-ministro notou que o Alentejo "é uma região que é capaz de se projetar no mundo através da sua faixa atlântica, mas é capaz também de ser uma grande plataforma de afirmação no conjunto do mercado ibérico e na Europa, através desta linha ferroviária e de todo o vasto território que tem junto à fronteira com Espanha".

No final da reunião, nem o primeiro-ministro, nem o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, também presente na sessão, quiseram prestar declarações aos jornalistas.

Em dezembro, o Ministério do Planeamento anunciou o lançamento, no primeiro trimestre de 2018, dos concursos públicos para a construção do troço ferroviário entre Évora e Elvas, integrado na ligação de mercadorias do Corredor Internacional Sul.

Em causa estão portarias, já publicadas em Diário da República, que autorizam a tutela a contratar as empreitadas para construir os troços entre o Freixo e o Alandroal, entre Évora Norte e Freixo e ainda entre o Alandroal e a Linha do Leste e ainda a fazer um contrato de prestação de serviços para a fiscalização destas obras, que implicam uma nova ligação ferroviária de Évora à Linha do Leste (junto a Elvas), do Corredor Internacional Sul.

"Estas portarias vão permitir o lançamento destes concursos no primeiro trimestre de 2018", explicava o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas em resposta escrita enviada à agência Lusa.

Ao todo, o investimento ronda os 422 milhões de euros, dos quais 264 milhões de euros são comparticipados pelo Estado e as verbas restantes - 158 milhões de euros - são suportadas por fundos comunitários, no âmbito do Programa Mecanismo Conectar Europa (CEF), segundo um ponto de situação enviado à Lusa.

O documento precisa que a maior fatia de investimento diz respeito à ligação Alandroal-Linha do Leste (220 milhões de euros), seguindo-se a ligação Freixo-Alandroal (105 milhões de euros) e a ligação Évora Norte-Freixo (70 milhões de euros), enquanto a fiscalização terá um custo de 27 milhões de euros.

Na altura, a tutela frisava que "este troço é fundamental para completar um corredor internacional ferroviário" e que, em Portugal, vai "completar a ligação entre os portos de Sines e Setúbal e a fronteira com Espanha".

Dinheiro Vivo/Lusa