Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Porto de Setúbal atingiu 34% de quota na ferrovia

O Porto de Setúbal alcançou, em 2014, uma quota de mercado de 34% do número de comboios de mercadorias realizados nos portos nacionais, com 5,5 mil comboios anuais. É o segundo porto nacional em número de comboios. Foi ainda o que obteve o maior aumento na utilização do modo ferroviário em 2014, face a 2013, com uma taxa de crescimento de 33%. Os comboios realizados no Porto de Setúbal incluem o movimento de ferros, cimento, contentores de Portugal e Espanha, concentrado de cobre, madeiras e clínquer.

Estes valores mostram bem a importância estratégica do Porto de Setúbal em termos ferroviários, bem como explica a importância e o potencial dos projectos prioritários do PETI para o porto de Setúbal, a candidatar a Fundos Comunitários, em especial a Ligação à Termitrena e a melhoria do acesso ao Triângulo das Praias do Sado e Zona Central do Porto. Projectos que vão permitir crescer no movimento de cargas, sendo possível a quase duplicação do número de comboios nos próximos 10 anos.