Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Portos portugueses vão fazer compras conjuntas

O objectivo do projecto da Associação dos Portos de Portugal é atingir uma poupança de mais de 4 milhões de euros até 2020, na aquisição de bens e serviços com os ganhos de escala e o aumento do poder negocial.

Os portos portugueses vão passar a fazer aquisições de bens e serviços conjuntas, com o objectivo de atingir uma poupança de 15% até 2020. O presidente da Associação dos Portos de Portugal (APP), Vítor Caldeirinha, explicou ao Negócios que este projecto terá início ainda este ano e vai "gerar economias de escala, aumentando o poder de negociação" das administrações portuárias junto dos fornecedores. Telecomunicações, seguros, viaturas, segurança ou até dragagens são alguns dos bens e serviços que poderão vir a ser adquiridos em conjunto.

Actualmente, os portos nacionais têm custos de fornecimentos de serviços externos da ordem dos 28 milhões de euros por ano. O objectivo de reduzir em 15% estes custos significaria uma poupança da ordem dos 4,2 milhões de euros até 2020. No entanto, já em 2015 o presidente da APP espera que se sinta algum efeito destas sinergias.

Vítor Caldeirinha explicou que estas aquisições conjuntas começarão a ser feitas de forma gradual. A participação de cada porto neste processo é voluntária, ainda que à partida todos devam estar interessados em aderir, tendo em conta o objectivo de redução de custos.
Nesta fase, o grupo de trabalho encarregue deste projecto, liderado por um administrador do porto de Sines, está a proceder ao levantamento em cada porto dos contratos em vigor e dos respectivos prazos. Este levantamento estará a decorrer até ao final do mês do Agosto, sendo o objectivo do presidente da APP que pelo menos um concurso de aquisição conjunta de bens ou serviços seja lançado ainda este ano. No futuro, a intenção é "harmonizar os prazos dos diferentes contratos".

As compras conjuntas são, para Vítor Caldeirinha, "um passo natural" para os portos nacionais, que ao reduzirem os seus custos operacionais contribuem para a diminuição da factura portuária. Tendo em conta o objectivo do Governo com a renegociação das concessões portuárias no sentido de reduzir os custos aos utilizadores dos portos, as administrações portuárias antecipam, com a diminuição dos seus custos operacionais, os efeitos que irão sentir ao nível das receitas.

O projecto destina-se a todos os portos nacionais. Ou seja, para além dos cinco principais - Leixões, Aveiro, Lisboa, Sines e Setúbal - podem aderir ao projecto todos os portos mais pequenos, desde Viana do Castelo, Figueira da Foz ou Algarve até aos dos Açores e Madeira. Actualmente, cada porto tem a sua plataforma de compras de bens e serviços.

LEIA A NOTÍCIA NA ÍNTEGRA AQUI